TRADUZA A PAGINA NA LINGUA DESEJADA DEUS VOS ABENCOE.

domingo, 8 de janeiro de 2012

Bem Vindo, Espírito Santo Como experimentar a dinâmica obra do Espírito Santo em sua vida

Sumário





Atlanta é uma linda cidade, o coração e a jóia do sul, mas não se engane, em agosto é quente e úmida! E quando se está na Interestadual 75, bem no meio de um grande congestionamento, com carros na frente, carros atrás e por todos os lados que a vista alcança, com o sol de fim de tarde na cabeça, aí é realmente quente!
Assim, lá estávamos nós: em Atlanta, mês de agosto, cercados por todos os tipos e tamanhos de veículos, andando lentamente pela Interestadual 75. Nosso microônibus parecia uma sauna sobre rodas devido à umidade. E para piorar as coisas, vou acabar me atrasando para a minha própria cruzada.
Por que não estamos andando, Gene? ― perguntei. ― Onde todas estas pessoas estão indo?
À medida que avançávamos com lentidão, Gene Polino, meu administrador e braço direito, me informou que por causa da cruzada de milagres e de um jogo de futebol de pré-temporada, as ruas do centro da cidade de Atlanta estavam completamente paralisadas.
Estamos sendo levados ao Estádio Omni, no centro de Atlanta, onde nossa cruzada de milagres está marcada para as 19:00 horas. Embora a capacidade do Estádio Omni seja para 18.500 pessoas, todas as informações prévias indicam uma boa mobilização na noite. Baseados nas reservas prévias para ônibus e grupos, além de corais, acompanhantes, funcionários, convidados e a estimativa do público em geral, precisaríamos de todos os lugares e mais. E pelo trânsito à nossa volta, fica claro que estão indo para o estádio muito mais pessoas do que tínhamos pensado.
― Quanto falta, Gene? ― perguntei.
― É difícil dizer, mas o trânsito está um pouco melhor agora.
― Espero que sim. Está ficando tarde. Gene viu que eu estava absorto e, como sempre faz, antecipou o que eu estava pensando:
―  Pastor, Charlie disse que o chefe dos bombeiros está trabalhando conosco para nos ajudar a acomodar o maior número possível de pessoas. Fizemos tudo o que pudemos para preparar tudo para o grande público.
Ao prosseguirmos pela via lotada, naquele veículo que parecia um forno, o telefone celular tocou ― era Charlie McCuen, meu coordenador de cruzadas.
― Alô, Charlie. O que está acontecendo no Omni? ― perguntei.― Pastor, já estão ocorrendo milagres! O lugar está abarrotado de gente e o poder de Deus está em todo lugar! Pessoas estão levantando de cadeiras de rodas e a atmosfera está carregada do poder de Deus, dentro e fora! Nunca vimos algo assim! O Espírito Santo já está operando, mesmo antes do culto começar! Deus está fazendo aqui muito mais do que pedimos em oração! Existe uma empolgação no ar, Pastor! O culto desta noite será tremendo!
― Que toda a glória seja para Deus, Charlie. Estaremos aí em poucos minutos. Até já.
Quando desliguei o telefone e pensei naquilo que Charlie tinha acabado de dizer, o Senhor me lembrou da seguinte passagem das Escrituras: "Ora, àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos, ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós, a ele seja a glória, na igreja e em Cristo Jesus, por todas as gerações, para todo o sempre. Amém" (Ef. 3.20,21).
Murmurei uma oração de agradecimento ao Senhor, por Sua fidelidade. "Obrigado, Senhor, pelo que está fazendo. Realmente a obra é do Senhor e não minha. Senhor, Tu és maravilhoso e eu O amo demais." Comecei a refletir sobre tudo aquilo que Charlie havia dito e novamente fui cheio de assombro e admiração pela graça e misericórdia de Deus.
(Prezado leitor, ao ler este livro, minha oração por você é para que descubra que "Não por força nem por poder, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos." Se você tem fome do poder de Deus, continue lendo este livro, porque nele vou compartilhar com você o que tenho aprendido com o Espírito Santo a respeito do Seu maravilhoso poder para operar milagres, poder este que está disponível para você e para mim.)
Gene interrompeu meus pensamentos e disse:
― Já estamos quase lá, Pastor. Estou vendo o Omni lá na frente.
Dirigimo-nos para a entrada dos fundos do estádio e paramos. Quando o portão se fechou atrás de nós, saí do microônibus e me dirigi à sala que havia sido preparada para mim. O monitor de televisão já estava ligado quando entrei. Fui até o monitor para aumentar o volume. Havia pessoas aplaudindo e gritando por todos os lados! E havia uma grande comoção na área para cadeiras de rodas! Estavam acontecendo milagres! Pude vê-los pelo monitor! E eu podia sentir a presença de Deus de uma maneira muito forte lá dentro do meu camarim. Era glorioso!
Meus olhos estavam grudados no monitor. Eu estava impressionado pelo poder que Deus estava demonstrando, antes mesmo do culto começar... Aí apareceu uma pessoa correndo para frente e para trás no estádio...
Era emocionante! Aconteciam milagres diante dos meus olhos! "Que Deus assombroso nós temos," pensei. Ao continuar a assistir ao monitor, comecei a chorar. Fui dominado pelo amor e fidelidade de Deus. Estava impressionado com o que estava acontecendo! Tomadas das várias seções do local permitiram que eu visse as faces das pessoas. Observei uma variedade de emoções nos rostos, de risos e excitação, até lágrimas de alegria e adoração ― mas a emoção mais comum que vi representada diante de mim era fome, fome de experimentar o glorioso toque do Mestre.
Enquanto olhava fixamente para o monitor, pensei, "sei melhor do que qualquer outra pessoa aqui que estas pessoas não vieram para ver o Benny Hinn. Porque eu mesmo não iria ouvir o Benny Hinn. Eu nem mesmo atravessaria a rua para me ouvir pregando. Sei melhor do que qualquer pessoa que está aqui esta noite, que estas pessoas não vieram porque eu estou aqui; elas vieram porque o Senhor Jesus está aqui!"
Rapidamente me veio à mente a passagem de Isaías onde Deus disse: "A minha glória, não a dou a outrem" (Is. 48.11). Aprendi, ao longo dos anos, que esta é uma coisa que Deus não dividirá.
Algumas pessoas podem perguntar, "o que motiva uma pessoa a viajar uma longa distância para ir a uma cruzada e chegar com horas de antecedência?"
Para mim a resposta é fácil, porque não faz muito tempo que eu também fiquei esperando para entrar em um culto de Kathryn Kuhlman, crendo e esperando receber de Deus. Foi uma fome que me dirigiu, uma fome que ainda tenho hoje e uma ânsia de experimentar o glorioso toque da Sua presença. Hoje tenho mais fome do que nunca. E esta fome e ânsia de conhecê-Lo e à glória de Sua presença apenas se intensificam. Quanto mais O conheço, mais quero saber sobre Ele.
Sim, eu me identifico com estas pessoas maravilhosas que assistem nossas cruzadas, porque eu, como eles, estava tão faminto espiritualmente, que não pensava duas vezes para viajar uma grande distância ou chegar horas antes da reunião começar, só para experimentar uma visitação da presença de Deus mais uma vez.
As milhares de pessoas que enchem estes auditórios e estádios ao redor do mundo, vêm de diferentes camadas sociais e possuem necessidades diferentes, mas se unem por uma coisa: um profundo desejo de ficarem perdidas no poder e na maravilha da obra do Espírito Santo.

Foi Ontem

Veja, parece que foi ontem, quando eu também estava do lado de fora das portas da Primeira Igreja Presbiteriana em Pittsburgh, Pensilvânia, às 6:00 horas de uma manhã de dezembro de 1973, esperando que elas fossem abertas para um culto que mudaria completamente minha vida.
Se você leu Bom Dia, Espírito Santo (Bompastor Editora, 1993), já sabe um pouco da minha história. Um amigo meu chamado Jim Poynter me convidou para viajar com ele de ônibus de nossa casa em Toronto até Pittsburgh, para assistirmos a um culto da famosa evangelista na área de cura Kathryn Kuhlman, e lá estávamos nós naquela manhã fria em Pittsburgh.
A imagem daquele dia permanece indelével na minha mente. O ar estava tão cortante e frio,mas tão frio que, na verdade, quase machucava para respirar. As pessoas que me cercavam usavam seus casacos mais quentes, suas cabeças estavam protegidas por gorros e os pés cobertos com grandes botas. Batíamos os pés com força no chão, esfregávamos nossas mãos, apertávamos nossos braços fortemente contra nossos corpos para evitarmos o frio e o vento, até nos juntamos em grupos, tudo numa tentativa inútil de nos aquecermos um pouco.
Com muita relutância, a noite se rendeu a um amanhecer cor de ferro que surgia ameaçadoramente sobre a cidade de aço. A luz revelou os grandes edifícios de topos negros e o concreto que rodeavam a igreja por todos os lados, como se a própria cidade tivesse crescido em volta da igreja, muito semelhante à forma como os milharais crescem em volta das casas de fazenda em Indiana. A igreja em si, às vezes parecia uma catedral e outras uma fortaleza, com suas torres ascendentes, seu edifício elaborado e suas portas imponentes. As pedras claras da igreja estavam manchadas de fuligem preta da poluição e do tempo, o que dava à igreja uma aparência especialmente sóbria.
Jim Poynter tinha me contado algumas coisas sobre Kathryn e seu ministério ― o suficiente para me convencer a ir, mas não o suficiente para fazer com que eu esperasse que acontecessem muitas coisas na sua reunião.
Mesmo assim, eu estava buscando algo. Meu  coração estava faminto, ansiando por mais ― e, oh, como eu precisava daquilo naqueles anos.

Tradição e Transição


Veja, nasci e passei minha infância na cidade costeira de Haifa, Israel, onde o mar bravo da Terra Santa encontra-se com o Mediterrâneo turquesa sob um céu limpo e um sol quente.
Eu, meus cinco irmãos e duas irmãs, crescemos como membros de uma família internacional e tivemos uma infância multicultural naquela cidade cosmopolita. Era alegre e às vezes confuso. Minha mãe, Clemence, era descendente de armênios. Meu pai, Costandi, vinha de uma família grega. Fui batizado na Igreja Ortodoxa Grega, mas estudava em uma escola católica. Falava francês na escola, árabe em casa e hebraico na comunidade.
Mas eu não falava bem. Desde pequeno, mesmo uma pequena pressão social ou stress emocional traziam-me uma violenta gagueira.
As outras crianças riam de mim. Meus professores achavam que eu era um caso sem esperanças. E o que era pior, como filho mais velho, sentia que era uma tremenda decepção para toda a família.
Embora meu pai fosse um bom homem, que me amava, ele dizia coisas que me feriam profundamente.
¯ De todos os meus filhos, ¯ ele costumava dizer ¯ você é o único que nunca fará alguma coisa sozinho.
Por favor, não interprete mal, meu pai era um homem maravilhoso, amável e generoso, e eu o amava ¯ mas era o que ele dizia, e o pior de tudo, eu acreditava nele! Você consegue imaginar como aquilo me feria? A medida que meu senso de auto-estima definhava, eu me afastava do mundo e das pessoas que me cercavam. Evitava ser rejeitado pelas crianças da escola de todas as formas que conseguia. Ainda tenho lembranças vivas de estar escondido num canto do pátio, dia após dia, enquanto as outras crianças brincavam. Fazia qualquer coisa para evitar a rejeição.
Embora fosse muito jovem, mergulhei na devoção religiosa da fé católica, uma vez que aquela era a única coisa que me trazia algum consolo. Muitas foram as horas que passei ajoelhado naquele chão de pedra tão familiar, recitando a Ave Maria, o Credo dos Apóstolos e a Oração do Senhor. Me entreguei à oração e aos estudos para me tornar um bom aluno. Tudo o que se relacionava com minha educação católica, tornou-se meu foco. Eu passava tanto tempo no convento da escola onde estudava que, praticamente, morava lá. Mas isto não tirou o vazio e a sensação de solidão, apenas camuflou-os, mas não por muito tempo.
Durante minha infância em Israel, a ameaça de guerra era constante. Lembro, vagamente, dos meus pais falando sobre isso às vezes. Mas em 1967 a ameaça tornou-se uma realidade com a "Guerra dos Seis Dias". Não pense que, por causa da brevidade, aqueles dias foram fáceis de serem enfrentados; te asseguro que não. Lembro-me de estar correndo para a escola no dia em que chegou a notícia de que a guerra havia começado. Hoje,olhando para trás, compreendo que a guerra foi rápida e decisiva, mas para se chegar a ela foi um período longo e amargo, cheio de ansiedade. Os vizinhos de Israel se uniram contra ele, expulsaram as forças de paz das Nações Unidas e concentraram tropas ¯ particularmente no Sinai. Foi usada diplomacia pública e privada ¯ em vão. Toda a experiência foi aterradora.

Um Novo Começo

No ano seguinte, 1968, emigramos para o Canadá. Até esta época, eu apenas conhecia a vida no quente e ensolarado Israel e me sentia seguro na vida religiosa das escolas católicas. No entanto, fui repentinamente arrancado da minha vida um tanto previsível e lançado para um mundo desconhecido. Tive que me ajustar a algo com o que não estava acostumado, nem preparado. Mudei para um novo país, sem saber o que me esperava.
A mudança não podia ter sido mais difícil para mim porque, ao mudar para Toronto, tive que me adaptar a um novo continente, uma nova cultura e até mesmo a um novo clima. De repente, tive que enfrentar uma nova língua, um novo ambiente, uma nova casa e roupas diferentes para suportar os meses de frio e neve. Fui confrontado por uma nova escola e por todos os rumos associados à minha nova cultura. De repente, eu estava estudando sobre uma nova forma de governo e aprendendo novos feriados e tradições de uma nova sociedade. Tudo era tão diferente! É desnecessário dizer que a mudança para Toronto apenas aumentou meus sentimentos de solidão e alienação. Mas Deus tinha para mim um futuro bem melhor que o passado, muito melhor do que eu esperava, porque foi no Canadá que eu nasci de novo. Foi neste novo país que comecei a ter um relacionamento com Jesus Cristo. Como Paulo disse: "Considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus." Deus me levou até Toronto para que eu pudesse encontrar Seu Filho e mudar minha vida para sempre.

A Mudança Final

Foi em fevereiro de 1972, quando alguns colegas do Colégio Georges Vanier me convidaram para uma reunião matinal de oração. Pela primeira vez vi pessoas orando e louvando a Deus com poder e alegria verdadeiros. Comecei a ter a mesma sensação que tive quando tinha 11 anos de idade e tive uma visão do Senhor Jesus. Aquele dia continua muito vivo na minha memória... ainda consigo me lembrar da sensação de uma poderosa corrente, que parecia eletricidade, correndo por todo o meu corpo.
Ainda consigo me lembrar com muita nitidez da aparência majestosa do Mestre na visão que tive naquela noite, vestindo uma túnica tão branca que resplandecia e um manto carmesim que a cobria. E Seus olhos ¯ pareciam me penetrar, me abraçando com um amor indescritível ¯ um sorriso que jamais esquecerei. E, enquanto Ele estava lá,olhando direto para mim, com os braços estendidos na minha direção, vi as marcas dos pregos em Suas mãos e então soube que era o Senhor. Foi nesta experiência que soube que havia um plano para minha vida.
E naquele dia, enquanto via aqueles estudantes em 1972, com as mãos levantadas, orando e adorando a Deus, sem entender tudo o que estava vendo, tive a mesma sensação, a mesma alegria e o mesmo amor que senti naquela noite que vi o Senhor. E as únicas palavras que consegui emitir foram: "Vem, Senhor Jesus, vem Senhor Jesus."

Uma Nova Esperança Para Mim

Tornar-me um cristão "nascido de novo" trouxe uma nova esperança para minha vida, mas não tornou as coisas mais fáceis para mim em casa. Quase que imediatamente, minha família começou a me ridicularizar e depreciar. Para uma pessoa do Oriente Médio, quebrar as tradições é um pecado praticamente imperdoável, e eles sentiam que minha conversão tinha trazido vergonha sobre toda a família.
Certa vez, ao testemunhar para minha família, meu pai me deu uma bofetada e disse:
¯ Se você mencionar o nome do Senhor Jesus novamente, vai se arrepender.
Depois disso, durante quase dois anos, meu pai e eu raramente nos falávamos. Ele me ignorava até mesmo na mesa durante as refeições e, embora sua aprovação fosse importante para mim, não tínhamos um relacionamento real.
Aos 21 anos de idade, minha vida era uma grande confusão. Tinha poucos amigos e meu relacionamento com minha família tinha chegado a um ponto crítico. Não tinha uma carreira, um propósito verdadeiro, nem perspectivas para minha vida.
Mas eu tinha o Senhor, uma fé inabalável no poder sobrenatural de Deus e uma ânsia desesperadora de experimentar Seu maravilhoso toque restaurador sobre minha vida despedaçada.

O Poder e a Presença

Será que o convite de Jim Poynter para assistir a uma reunião de Kathryn Kuhlman era a oportunidade? Seu convite não podia ter vindo em hora melhor.
Nossa viagem a Pittsburgh foi difícil. Uma tempestade de neve tornou a viagem de sete horas de ônibus de Toronto a Pittsburgh duas vezes maior. Mas o atraso foi providencial. Durante a longa viagem, Jim e os outros me inspiraram com histórias de milagres ocorridos em alguns dos cultos anteriores de Kathryn Kuhlman. Uma sensação de emoção e entusiasmo começou a se formar dentro de mim. Chegamos no hotel a uma hora da manhã.
Jim disse que não teríamos muito tempo para dormir. Tínhamos que estar na igreja às seis horas da manhã se quiséssemos pegar um bom lugar.
Pensei: "esta mulher deve ser muito especial para as pessoas levantarem antes do dia amanhecer e esperarem no frio para entrar em suas reuniões!"Quando chegamos na Primeira Igreja Presbiteriana, centenas de pessoas já estavam esperando na escuridão. Algumas tinham até trazido sacos de dormir e dormiram nos degraus. Eu era pequeno o suficiente para ir pulando no meio da multidão e me aproximar da porta da igreja, puxando o Jim atrás de mim.
Enquanto esperávamos no frio, algo começou a acontecer dentro de mim. As histórias que Jim tinha contado durante a viagem, a excitação crescente da multidão, os testemunhos inacreditáveis que ouvia das pessoas ao redor de mim ¯ tudo isso começou a criar um sentimento de expectativa dentro do meu coração. Notei que estava tremendo, mas tirei este pensamento da minha cabeça porque o ar de inverno estava muito frio.
Com toda a conversa minha fé aumentou. "Hoje," pensei, "do outro lado destas portas, vou encontrar Deus. " A espera era quase insuportável.
Mais ou menos uma hora antes do culto, a multidão tinha ficado tão grande que mal tínhamos lugar para respirar.
¯ Benny, ¯ Jim disse ¯ quando as portas forem abertas, corra o mais rápido que conseguir.
¯ Por quê? ¯ perguntei ainda tremendo.
¯  Senão as pessoas vão esmagar você ¯ ele respondeu.
Quando chegou a hora, lancei-me pelo corredor em direção à frente da igreja ¯ com a multidão vindo no meu calcanhar. Os bancos da frente estavam reservados, mas o Jim e eu encontramos lugares excelentes na terceira fileira.Quando sentei, meu corpo ainda tremia. Nesta hora, eu já estava tremendo incontrolavelmente por duas horas, desde que esperava do lado de fora. Estava feliz por ter entrado no santuário quente. Mas, enquanto esperava o culto começar, embora o templo fosse aconchegante e confortável, continuava a tremer. A princípio, a experiência me amedrontou, mas quanto mais continuava, mais agradável se tornava. "O que está acontecendo comigo"?" pensei, "Será que o poder de Deus é isto ? "
Uma hora depois, como que saída do nada, uma mulher radiante, de cabelos vermelhos, usando um vestido de chifon amarelo, caminhou até a plataforma. Era Kathryn Kuhlman, com o maior sorriso que eu já tinha visto.

Cheio Até Transbordar

Do momento em que ela deu as boas-vindas ao Espírito Santo, até a reunião, uma atmosfera de regozijo permeava o auditório. Ao conduzir as pessoas no louvor, cantando "Quão Grande És Tu", entramos na presença de Deus e cantávamos do fundo de nossas almas.

Então minh'alma canta a Ti Senhor,
Quão grande és Tu, quão grande és Tu.
Então minh'alma canta a Ti Senhor,
Quão grande és Tu, quão grande és Tu.

Continuamos e Kathryn Kuhlman nos dirigiu nas canções seguintes: "Jesus, Existe Algo Neste Nome" e "Ele É O Salvador Da Minha Alma". Minhas mãos estavam erguidas para os céus, lágrimas escorriam pelo meu rosto, adorei a Deus do fundo do meu ser, algo que nunca tinha experimentado antes como cristão.
Foi neste momento que me conscientizei das minhas faltas e falhas e me senti indigno da bênção de Deus. "Amado Senhor Jesus," orei, "por favor, tenha misericórdia de mim."
Daí, claro como qualquer voz que eu já tinha ouvido, eu O ouvi falar as seguintes palavras ao meu coração: "Minha misericórdia é abundante sobre você." E naquele momento, experimentei uma intimidade muito grande com o Senhor, algo maior do que qualquer coisa que eu conhecia, uma experiência que causa impacto na minha vida até hoje.
O culto durou mais de três horas e nunca antes eu havia sido testemunha de milagres como aqueles. Tumores e artrites desapareceram. Um surdo que reconquistou a audição. Pessoas abandonando muletas e cadeiras de rodas. Centenas de pessoas foram à plataforma para contar como o Mestre tinha tocado suas vidas.
Sentado ali, com o rosto banhado de lágrimas, sabia que o Mestre também tinha me tocado. Eu tinha ido àquele culto psicologicamente amedrontado e emocionalmente mutilado. Mas, naquele momento, fui transformado pelo Seu Espírito, fui cheio de uma paz e alegria que excederam todo o entendimento.

As Chaves do Poder

Naquele dia em Pittsburgh, um jovem sedento foi cheio do espírito de vida até transbordar. Em um momento, fui transformado pelo Seu toque, e eu nunca mais voltaria a ser o mesmo.
Vejo a mesma sede e a mesma ânsia nos olhos das pessoas que vêm às nossas cruzadas.

Uma Paixão por Seu Poder

Esta ânsia é muito importante. Na verdade, é a primeira chave para se experimentar a atuação do Espírito Santo: Você tem que sentir uma paixão por Seu poder. Tem que ter uma fome em seu coração que faça com que busque e busque até vivenciar, em sua própria vida, os milagres registrados na Bíblia, os mesmos milagres que estão disponíveis hoje.
Ao abrirmos nossos corações para o Espírito Santo, Ele derrama Sua presença sobre nossas almas sedentas como chuvas torrenciais sobre a terra seca. Sua presença se torna real e tangível. Vidas destruídas são curadas por causa da Sua presença, e vidas são transformadas para sempre.
Eis uma das mais poderosas lições que aprendi sobre a atuação do Espírito Santo: Ele manifesta Sua presença e poder para aqueles que anseiam por Seu toque sobre suas vidas. Sede espiritual atrai Sua unção, como um sifão atrai fluido de um recipiente cheio para um vazio.
E por isso que o Senhor prometeu, através do profeta Isaías, dizendo: "derramarei água sobre o sedento, e torrentes sobre a terra seca; derramarei o meu Espírito sobre a tua posteridade, e a minha bênção sobre os teus descendentes" (Is. 44.3, ênfase acrescentada).
Muitas pessoas estão vazias espiritualmente, suas vidas estão estéreis e secas. Mas apenas aquelas que estão realmente sedentas da Sua presença serão cheias até transbordar. Somente aquelas que anseiam por conhecer o Senhor e que se rendem a Ele com fé, experimentarão Seu poder e Sua obra em suas vidas.

Um Entendimento da Sua Pessoa

A segunda chave para experimentar a atuação do Espírito Santo de diversas formas é ainda mais importante: Você tem que entender que o Espírito Santo é uma pessoa. Ele não é uma força ou uma influência. Ele é uma pessoa e somente quando entendemos isto é que conseguimos nos apropriar de Sua obra.
Enquanto a Bíblia nos diz claramente que o Espírito Santo é realmente uma Pessoa, com intelecto, emoções e desejos, muitos cristãos vivem suas vidas como se Ele fosse uma força ao invés de uma Pessoa. Eles nunca ultrapassarão um determinado nível em suas vidas cristãs enquanto não enfrentarem, verdadeiramente, o fato de que o Espírito Santo pensa, sente, se comunica, percebe e responde. Ele dá e recebe amor. E sofre quando é ferido.
O Espírito Santo é extremamente maravilhoso, precioso, gentil e amoroso. Mas só naquele dia memorável em Pittsburgh eu compreendi realmente que Ele é uma pessoa que quer se relacionar comigo.
Bem no meio daquele culto em 1973, Kathryn Kuhlman parou de falar e caiu um silêncio profundo sobre o auditório.

A Pessoa Mais Maravilhosa

Curvando a cabeça, ela começou a chorar. Durante vários minutos, o único som dentro daquele prédio era seu soluço profundo. (Anos depois, a equipe me contou que nunca tinha ocorrido algo como aquilo em seus cultos, nem antes, nem depois daquele culto). Enquanto ela chorava, eu permanecia grudado em cada movimento seu, minhas mãos estavam agarradas no banco à minha frente.
Quando levantou a cabeça, pude ver o fogo em seus olhos.
¯ Por favor, não entristeçam o Espírito Santo, ¯ ela suplicava com a voz trêmula de emoção. ¯ Não magoem Quem eu amo. Ele é mais real do que qualquer coisa neste mundo. Ele é mais real, para mim, do que vocês.
Depois Kathryn Kuhlman descreveu o extraordinário relacionamento que tinha se desenvolvido entre o Espírito Santo e ela. Ele era seu Amigo íntimo e Companheiro constante, bem como a Fonte do poder de Deus em sua vida.
Nunca tinha ouvido alguém falar do Espírito Santo daquele jeito. Como um cristão recém-convertido, eu tinha uma imagem confusa e nebulosa do Espírito Santo. Conhecia os Seus dons, mas não O conhecia realmente.Até ter ido àquele culto em Pittsburgh, ninguém havia me explicado totalmente que o Espírito Santo é uma Pessoa que eu poderia conhecer de verdade. Nunca tinha ouvido alguém descrevendo-O como um Companheiro íntimo e amado.
A medida que Kathryn Kuhlman falava sobre o Espírito Santo, uma ânsia inexplicável tomava conta do meu coração. Era isso! Aquele era o segredo, eu tinha que conhecer a Pessoa. Tenho que conhecê-Lo, falei para mim mesmo. No caminho de volta para Toronto, no ônibus fretado, eu continuava dominado pela experiência. Mal sabia o que estava reservado para mim na volta.

Posso Te Conhecer?

Eu estava exausto fisicamente quando cheguei em casa, mas continuava tão    agitado que mal consegui dormir.
Enquanto estava deitado na cama, senti como se alguém estivesse me puxando para fora do colchão, fazendo ajoelhar-me.
De joelhos, no escuro, disse as palavras que tinham ficado mexendo com meu coração durante todo o dia.
"Espírito Santo," ¯ eu disse ¯ "Kathryn Kuhlman diz que Tu és companheiro dela. Acho que não Te conheço. Até hoje, achava que sim, mas depois do culto desta manhã, entendi que não Te conheço de verdade."
Como uma criança eu disse, "Amado Espírito Santo, quero conhecê-Lo. Posso Te conhecer? Posso Te conhecer realmente?"Eu sabia que tinha conhecido Deus através da fé no Senhor Jesus e que Ele tinha mudado minha vida. Mas será que eu conseguiria conhecer o Espírito Santo como Kathryn Kuhlman?
Não aconteceu nada durante longos dez minutos. Nenhum anjo, nenhuma trombeta, nem vozes majestosas. Desapontado, comecei a voltar para a cama.
De repente, cada átomo do meu corpo começou a tremer e senti um calor maravilhoso envolver meu corpo, como se alguém tivesse me envolvido com um cobertor grosso. Uma sensação inacreditável de êxtase inundou o meu ser. Um amor indescritível começou a inundar a minha alma. Não entendi o que estava acontecendo comigo, contudo, sabia lá no fundo do meu ser que o plano de Deus para minha vida tinha começado a se revelar.
A experiência foi tão gloriosa que eu não tinha certeza se estava no céu, era Pittsburgh ou em Toronto. Quando finalmente abri os olhos, ainda latejando pelo poder de Deus, olhei em volta e descobri que continuava no meu quarto em Toronto.
Na manhã seguinte, as primeiras palavras que emiti, sem saber por quê, foram:
¯ Bom dia, Espírito Santo.
Instantaneamente, Sua presença encheu meu quarto, envolvendo-me novamente com um calor celestial. Durante as oito horas seguintes, minha Bíblia ficou aberta e o Espírito Santo ia me ensinando sobre Si a partir da Palavra de Deus.Quando perguntei por que Ele tinha vindo, Ele me dirigiu às palavras de Paulo: "Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo, e, sim, o Espírito que vem de Deus, para que conheçamos o que por Deus nos foi dado gratuitamente" (1 Co. 2.12).
Ele também me mostrou por que eu nunca conseguiria entender as profundezas de Deus sem Sua ajuda: "Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam. Mas Deus no-lo revelou pelo Espírito; porque o Espírito a todas as cousas perscruta, até mesmo as profundezas de Deus" (1 Co. 2.9,10).
Naquela manhã, o Espírito Santo tornou-se tão real para mim quanto qualquer pessoa que já conhecera. A partir daquele dia, todos os dias, logo pela manhã, assim que eu dizia "bom dia" para Ele, Ele estava lá, ao meu lado, ajudando-me a entender a Bíblia, ajudando-me a orar e capacitando-me para me aproximar do meu amado Salvador e do meu maravilhoso Pai celestial.
Sentia Sua presença onde quer que eu fosse, mas meu quarto era nosso local especial de encontro. Quando saía do trabalho, corria para casa, subia rapidamente as escadas para voltar a passar um tempo sozinho com Ele.
Algumas vezes aquela comunhão era tão grande que o Espírito Santo me dizia: "Por favor, não vá embora, fique comigo, nem que seja só por mais cinco minutos."
Não foi muito depois disso que comecei a pregar o evangelho e fui totalmente curado da minha gagueira, tudo por causa do poder e da presença do Espírito Santo. Um por um, os membros da minha família entregaram seus corações para o Senhor, ao verem as maravilhas que o Senhor estava fazendo na minha vida.
Desde aquele dia, até hoje, o Espírito Santo tem sido meu companheiro constante e meu poderoso Auxiliador. Não existe uma única vez que, ao caminhar em direção ao púlpito para ministrar nas milhares de cruzadas que fazemos, eu não sussurre: "Espírito Santo, venha comigo. Este culto é Seu e não meu."

Quando o Espírito Vem

Sem dúvida, o motivo para tantos milagres maravilhosos acontecerem nestas grandes cruzadas é a atuação do Espírito Santo, e você só começa a entender a Sua atuação quando começa a entender a Sua pessoa.
O Espírito Santo quer te ungir com Seu poder, te dar a vitória sobre a tentação, te instruir na Palavra de Deus, te encher de sabedoria e revelação e te equipar para o ministério. Mas, acima de tudo, Ele anseia por ter comunhão com você e te levar à presença do Deus Todo-Poderoso.
E é o Espírito Santo quem torna o Pai e Seu Filho, o Senhor Jesus, tão reais em nossos corações e vidas. E por isso que o apóstolo Paulo queria tão sinceramente que os cristãos experimentassem a "comunhão do Espírito Santo" (2 Co. 13.13). Porque quanto mais O conhecemos, mais conhecemos o Pai e o Filho. E o Espírito Santo nunca exalta a Si mesmo, mas sempre glorifica e engrandece o Senhor Jesus.
O Senhor Jesus disse, a respeito do Espírito Santo: "Ele me glorificará porque há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar" (Jo.16.14). O Espírito Santo não busca Sua própria glória, nem quer atrair a atenção para Si, mas para Jesus.
Como são ricas estas verdades! Quão maravilhoso é o mistério da Trindade! Quando falo destas coisas, minha mente imediatamente volta ao antigo Credo Niceno que aprendi quando criança no colégio de freiras em Jaffa, Israel. Ele resume majestosamente meu entendimento sobre a Trindade:
Creio em Deus, Pai Todo-Poderoso, criador do céu e da terra e de todas as coisas visíveis e invisíveis;
E em um Senhor Jesus, o Filho de Deus, o Filho Unigênito, criado pelo Pai, antes da criação do mundo, Luz das luzes, Deus Verdadeiro do Deus Verdadeiro, criado, não feito; da essência do Pai, por Quem todas as coisas foram criadas: Que, por causa de nós e da nossa salvação, veio dos céus, se encarnou do Espírito Santo e da Virgem Maria e se tornou homem; e que também foi crucificado, morto e sepultado, nos tempos de Pôncio Pilatos, por nós. No terceiro dia, de acordo com as Escrituras, Ele ressuscitou e subiu aos céus, onde está assentado à direita do Pai; e ele deve voltar com glória para julgar os vivos e os mortos; cujo Reino é eterno.
E eu creio no Espírito Santo, o Senhor e Doador da Vida, Que procede do Pai, Que, juntamente com o Pai e com o Filho, é adorado e glorificado, Que fala através de profetas.
E eu creio na Santa Igreja Católica e Apostólica.
Reconheço um batismo, para a remissão dos pecados. Espero a ressurreição dos mortos e a Vida Eterna. Amém.
Este mesmo Espírito Santo anseia por te revelar Jesus e te dar forças para amá-Lo de todo o seu coração e alma e com toda sua força. Mas, para isto acontecer, Ele tem que ser bem-vindo em sua vida.

Renda-se ao Bendito Espírito Santo

Não existe forma maior de expressar nosso amor para o Senhor do que nos rendendo ao Seu Santo Espírito todos os dias. Na verdade, isto é absolutamente essencial, se você quiser conhecer a pessoa do Espírito Santo intimamente e experimentar da Sua atuação profundamente. Mas a rendição só é possível através da oração e de um coração quebrantado diante do Senhor.
Normalmente as pessoas me perguntam, "todo mundo pode experimentar do Espírito Santo como você? Todo mundo pode ver o Espírito Santo fazer as coisas que você já viveu?" A resposta é absolutamente sim! Não existe um dom especial envolvido, apenas quebrantamento e rendição. Por isso a pergunta não é, "eu tenho o dom?" A pergunta é, "eu consigo me render totalmente a Ele?"É como o processo começa. Quando você conhece o Senhor, é quando Ele começa a Se manifestar e a manifestar o Seu amor por você. E se inicia uma comunhão que cresce e se intensifica até você chegar ao ponto de dizer: "Senhor Jesus, Te entrego minha vida, minha mente, meu coração, meus sonhos, minhas emoções, meus pensamentos; dou todos eles para Ti. Rendo meu espírito, minha alma e meu corpo. Faça a Sua vontade comigo."
E é quando você se rende a Ele que o Espírito Santo começa a te ensinar, não apenas sobre você mesmo, mas sobre tudo o que o Pai tem para você (Jo. 14.26). É quando Ele começa a dividir com você Sua força e fé viva. Como Isaías declarou: "na tranqüilidade e na confiança está a vossa força" (Is. 30.15).
E então, tudo sobre a Palavra de Deus se torna mais forte e tudo sobre a oração se torna mais rico. Uma passagem da Bíblia que você já leu 10.000 vezes torna-se mais poderosa do que nunca, por causa da presença do Espírito Santo. Sua comunhão com Deus fica mais rica do que nunca, tudo por causa da presença do Espírito Santo. Virão uma paz e uma tranqüilidade em sua vida e, pela primeira vez, você entenderá o que o Senhor Jesus quis dizer quando falou: "A minha paz vos dou." Tudo isso se torna seu, por causa do Espírito Santo.

Um Convidado Bem-Vindo

Dennis Bennett,  o pastor episcopal   que   ajudou   a introduzir a renovação carismática nas principais denominações, geralmente comparava o Espírito Santo a uma visita que vai à sua casa:
Enquanto você está na cozinha preparando refrescos, Bennett dizia, seu convidado fica sentado quieto na sala, esperando que você venha conversar com Ele. Ele não entra na sua cozinha e diz: "Estou te esperando." Pelo contrário, ele pode esperar horas até que você se sente e converse com ele. Ele é totalmente Cavalheiro e não força ninguém.
O Espírito Santo é cavalheiro assim. Ele não interferirá nas nossas vidas sem ser chamado, nem forçará Sua presença sobre nós. Mas Ele sempre estará perto daqueles que desejam a Sua companhia.
Precisamos dar as boas-vindas ao Espírito Santo em todas as áreas da nossa vida diária, permitindo que Ele faça a Sua obra em nós e através de nós ¯ em casa, no trabalho, na escola, na igreja, onde quer que você esteja. Sua presença maravilhosa dá graça às nossas orações, nossos estudos bíblicos, nossa adoração e nossos relacionamentos com as outras pessoas.
Seu grande desejo é tornar-se Seu mais íntimo Companheiro e Auxiliador. Mas depende de você fazer este convite. Ele está esperando que você diga: "Bem-vindo, Espírito Santo."

Venha Viajar Comigo

Desde os primeiros dias do meu ministério, sonho em colocar este livro nas suas mãos. O livro Bom Dia, Espírito Santo apresentou-o à pessoa do Espírito Santo. Agora você está para descobrir a extraordinária obra do Espírito Santo.
Aquilo que uma pessoa faz flui dela e reflete o que ela é. Na verdade, não podemos, realmente, apreciar o trabalho de uma pessoa até compreendermos quem ela é. O mesmo acontece com o Espírito Santo. Quanto mais você entender quem Ele é como pessoa, mais conseguirá entender, vivenciar e se apropriar de Sua obra.
Então é assim que vamos começar. Veremos quem Ele é, o que Ele fez na história e o que Ele quer fazer hoje.
Este livro te ajudará a entender a Sua pessoa e a se apropriar do Seu poder. Oro para que você, ao ler as páginas seguintes deste livro, seja fortalecido pela Sua presença e poder e que lhe seja revelado que "não é por força nem por poder, mas pelo meu Espírito." E para que, quando tiver lido as últimas páginas, você diga: "Bem-vindo, Espírito Santo."

Quase setecentas pessoas enchiam a Igreja Ortodoxa Grega de Toronto no outono de 1982. Era um templo lindo, ricamente decorado com imagens coloridas e arte sacra.
O sacerdote desta bela igreja personificava magnificamente a grande tradição religiosa do lugar, com sua barba longa e o manto solto e adornado. Em seu pescoço estavam penduradas três jóias em formato de cruz.
Ele parecia muito digno ¯ e muito nervoso.
Sentada na frente da igreja estava toda a família Hinn ¯ minha mãe, meus irmãos e irmãs, tias, tios e muitos primos ¯junto com alguns amigos íntimos.
Diante de nós estava o caixão de meu pai, Costandi.
Com apenas cinqüenta e oito anos de idade, ele tinha morrido de câncer no pulmão. Papai fumava desde adolescente. Mesmo depois de entregar sua vida para Cristo, muitos anos antes, o fumo era um hábito contra o qual ele lutou até morrer.
Uma vez que meus pais tinham sido criados na Igreja Ortodoxa Grega, minha mãe insistiu para que o funeral seguisse aquela tradição em particular. Ao organizar a cerimônia, ela disse ao sacerdote:
¯ Tenho apenas um pedido. Quero que meu filho, Benny, dirija o culto.
O sacerdote ficou extremamente perturbado:
¯ Não, ¯ ele disse ¯ não pode ser.
Ela olhou para ele e disse com firmeza:
O funeral é nosso e o senhor vai fazer o que nós dissermos.
Surpreso pelo tom sério com que ela falou, ele concordou relutante:
¯ Sim, Sra. Hinn. O que a senhora quer que eu faça?
¯  Bem, o senhor apenas dará início à cerimônia. Faça o que tiver que fazer e depois deixe meu filho assumir a direção ¯ ela disse.
Quando o culto começou, olhei em volta e notei que a igreja estava cheia de pessoas que conheciam nossa família, mas que nunca tinham tido a experiência de um relacionamento pessoal com o Senhor Jesus.
O sacerdote andava de um lado para o outro, espalhando incenso do incensório ¯ um recipiente decorativo suspenso por uma pequena corrente que ele segurava. O caixão, que tinha estado aberto anteriormente, estava fechado.
A atmosfera era de grande tristeza. As pessoas choravam abertamente pela perda do amigo e parente. Depois de desempenhar algumas funções cerimoniais, o sacerdote dirigiu-se à sua cadeira especial e fez um sinal para que eu fosse à frente.

"Ele Não Está Aqui!"

Fui até o caixão e parei por um momento. Quando olhei para o sacerdote, ele estava com a cabeça abaixada. Não sei dizer se ele estava em oração profunda ou tentando evitar assistir outra pessoa conduzir uma cerimônia de funeral em sua igreja.
Na minha mente veio um 'flash' da passagem que declara: "Não queremos, porém, irmãos, que sejais ignorantes com respeito aos que dormem, para não vos entristecerdes como os demais, que não têm esperança" (1 Ts. 4.13).
Na frente da uma platéia chocada, comecei a socar o caixão com o punho cerrado. Depois agarrei-o com as duas mãos e, literalmente, o sacudi.
¯ Ele não está aqui! ¯ anunciei ¯ Meu pai não está aqui dentro.
Enquanto socava o caixão, peguei uma olhada do sacerdote. Seus olhos estavam arregalados nesta hora. Ele estava na beira de sua cadeira, petrificado. Toda a platéia estava atenta quando continuei:
¯ Ele não está aqui! Meu pai era nascido de novo e a Bíblia diz que estar ausente do corpo é estar na presença do Senhor!
Comecei a pregar o Evangelho. Ao invés de falar do meu pai, falei sobre o Senhor Jesus ¯ como Ele veio, como Ele morreu e ressuscitou dentre os mortos e como aqueles que crêem nEle viverão com Ele eternamente, através do poder do Espírito Santo. Paulo diz: "Se habita em vós o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos, esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos, vivificará também os vossos corpos mortais, por meio do seu Espírito que em vós habita" (Rm. 8.11, ênfase acrescentada).
Quando terminei a mensagem de trinta minutos, chamei minha mãe, meus irmãos e irmãs, para se juntarem a mim no caixão. Todos eles tinham encontrado Cristo como Salvador e três dos meus irmãos estavam no ministério. Minha esposa, Suzanne, uniu-se a nós, fizemos um círculo em torno do caixão e começamos a cantar.

Ele é o Senhor, Ele é o Senhor,
Ressurreto dentre os mortos ele é o Senhor.
Todo joelho se dobrará e toda língua confessará,
Que Jesus Cristo é o Senhor.

Erguemos nossas mãos para os céus e repetimos o coro. E então, com grande alegria, nos unimos em adoração: "Então minh'alma canta a Ti Senhor, quão grande és Tu, quão grande és Tu."
Gostaria que você estivesse lá. Não havia músicos. O único som vinha daquela família isolada que conhecia o Senhor Jesus. Ficamos lá, com os olhos fechados, adorando ao Senhor.
Poucos momentos depois, ainda cantávamos quando olhei para a platéia e notei que várias pessoas estavam enxugando lágrimas dos olhos. Imediatamente, convidei as pessoas a aceitarem Cristo como Salvador.
A primeira pessoa a vir à frente foi um de meus primos. Ele segurou minha mão e disse:
¯ Quero a mesma coisa que você tem.
O resultado daquele culto foi que almas nasceram para o Reino de Deus.
Era simplesmente impossível para mim olhar para aquele caixão e dizer "meu pai está lá dentro." Não era verdade, havia apenas um corpo ¯ uma casca.
Era como se uma mão tivesse sido removida de uma luva. Não podemos dizer "olhe o que a luva pode fazer." Ela não tem vida. Está morta. Meu pai não estava no caixão. Mas um dia, Deus, através do poder do Espírito Santo, ressuscitará aquela casca. Os mortos em Cristo ressuscitarão. Os mortais assumirão a imortalidade.

Seu Amigo Mais Íntimo

A ressurreição de Cristo e a promessa de ressurreição dos mortos é o fundamento da vida cristã. Sem isso nossa fé é vã, o perdão dos nossos pecados é uma ilusão e nossa esperança de nos reunirmos com os "mortos em Cristo" é uma fantasia. Em resumo, seremos "os mais infelizes de todos os homens" (1 Co. 15.12-19). Mas por causa da esperança, segura e certa, que todo crente tem na ressurreição, nossa fé é segura, nosso perdão é certo e nossa esperança de nos reunirmos com aqueles que foram antes de nós não fracassará.
A certeza da nossa ressurreição baseia-se na certeza da ressurreição do Senhor Jesus: "Cada um, porém, por sua própria ordem: Cristo, as primícias; depois os que são de Cristo, na sua vinda" (1 Co. 15.23). E como estas ressurreições ocorrem? Paulo diz: "Se habita em vós o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos, esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos, vivificará também os vossos corpos mortais, por meio do seu Espírito que em vós habita" (Rm. 8.11, ênfase acres­centada) .
Assim, o Espírito Santo é a chave para a vitória sobre aquele inimigo implacável da humanidade chamado morte. Mas o Espírito do Senhor é uma Força ou um Amigo} O Espírito Santo é um poder ou uma.Pessoa? A resposta para estas perguntas faz toda a diferença do mundo.
O Espírito Santo é muito mais do que uma força ou um poder. No início da minha caminhada cristã, eu não pensava muito no Espírito Santo nem de um jeito, nem de outro. Não até aquela maravilhosa manhã em Pittsburgh quando Kathryn Kuhlman olhou para as pessoas sentadas na platéia do seu culto de cura e disse sobre o Espírito Santo:
― Ele é mais real, para mim, do que vocês.
A declaração de Kathryn parou meus rumos.Ela não se referia a uma força remota, impessoal, flutuando sobre uma nuvem mística, que ela queria que se curvasse para fazer a sua vontade, ela se referia a uma Pessoa e um Amigo que ela conhecia de forma profundamente pessoal. E quando eu compreendi a pessoa do Espírito Santo, disse-Lhe que também queria conhecê-Lo como amigo. Foi esta abertura que levou não só poder ao meu ministério, mas também me levou a uma amizade crescente com a Pessoa mais doce e mais maravilhosa que conheço na terra: o Espírito Santo. Não se engane, existe glória ao se compreender a personalidade do Espírito Santo!
Posso te afirmar, por experiência própria, que quando você pára de aprender sobre o Espírito Santo e começa a conhecê-Lo como uma pessoa, sua vida nunca mais será a mesma. Ao invés de tentar acrescentar Seu poder em sua vida, você se renderá a Ele, ao Seu amor, Sua vontade e Sua direção.
Yonggi Cho, pastor da maior igreja de Seul, Coréia, escreveu sobre esta mesma experiência em seu livro 'Successful Home Cell Groups' (Grupos de Células Domésticas de Sucesso), ele disse: "Quando começo a pregar, digo para o meu coração, 'Amado Espírito Santo, estou começando agora. Vamos! Forneça todo o conhecimento, sabedoria e discernimento, e passarei tudo para as pessoas.'" Depois acrescentou: "Depois de terminar a palavra, sento e digo, 'Amado Espírito Santo, fizemos um excelente trabalho juntos, não fizemos? Glória a Deus!'"!
Como vê, a diferença entre o Espírito Santo ser um poder ou uma Pessoa não poderia ser mais profunda:

·         Se o Espírito Santo é um poder, vamos querer nos apropriar dele. Se o Espírito Santo é uma Pessoa Divina, vamos querer que Ele se aproprie de nós.
·         Se o Espírito Santo é um poder, vamos querer que realize nossos caprichos e desejos. Se o Espírito Santo é uma Pessoa Divina, vamos querer nos render mais a Ele, com temor e admiração.
·         Se o Espírito Santo é um poder, ficaremos orgulhosos por tê-lo e nos sentiremos superiores às pessoas que não o têm. Se o Espírito Santo é uma Pessoa Divina, seremos humildes pois, em Seu grande amor, a Terceira Pessoa da Trindade escolheu habitar dentro de nós.2
Contudo, infelizmente, milhares de pessoas vêem o Espírito Santo simplesmente como um poder ou influência celestial. Elas têm a maior consideração por Ele e falam dEle com grande reverência, mas não conhecem Sua comunhão e companheirismo. Isto é duplamente triste porque, primeiro, é absolutamente inútil tentar entender a obra do Espírito Santo, sem primeiro conhecê-Lo como uma pessoa; e, segundo, porque deixam de tirar proveito da maravilhosa companhia dEle.
Como Cristo, a Pessoa do Espírito Santo é eterna e viva. Agora, quando digo que o Espírito Santo é uma pessoa, não quero dizer que Ele tem um corpo, como você e eu bem sabemos. Mas mesmo assim, Ele não é sem formas. E, de certa forma, nos tornamos Seu corpo quando Ele vive dentro de nós.
Como você, eu e qualquer outra pessoa, Ele tem intelecto, vontade e emoções. Meu amigo Rodman Williams resume a teologia muito bem: "Que o Espírito Santo é o Deus, que Ele é uma pessoa e que Sua pessoa é uma realidade distinta ― tudo transcendendo a compreensão intelectual ― é a afirmação universal daqueles que experimentaram o mistério de Seu envio e chegada. Sabemos que Ele é completamente Deus e que é profundamente pessoal. Ele não é o Pai nem o Filho, mas é profundamente experimentado através das atividades deles. Ele é, para ficar claro, o Espírito de ambos (tal coisa já foi confirmada diversas vezes); entretanto, Ele não é idêntico a nenhum. Por isso, a fé cristã pode regozijar ao cantar a doxologia: "Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo!'" 3

Como Sabemos Que o Espírito é Uma Pessoa

O próprio Senhor Jesus fez uma exclamação sobre a personalidade do Espírito Santo quando se recusou a falar do Consolador (o bendito Espírito Santo) como uma "coisa". A palavra para "espírito" em grego (pneuma) normalmente pediria o pronome "isto" ¯ mas Jesus mostrou a personalidade do Espírito Santo falando "Ele": "quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará por toda a verdade..." (Jo. 16.13, ênfase acrescentada).
Assim como você tem uma personalidade única, o Espírito Santo também tem. Na verdade, existem características associadas a Ele que somente uma pessoa (isto é, um ser com intelecto, emoção e vontade) pode possuir. Ele não só tem capacidade para pensar, se comunicar e expressar Seu amor, como também pode ser facilmente ferido por nossas palavras e atitudes descuidadas.
Aqui estão algumas das formas específicas para sabermos que o Espírito Santo é uma pessoa.

1. Ele tem um intelecto.

O Espírito Santo pode pensar? Ele consegue raciocinar e lembrar? De acordo com a Palavra de Deus, Ele possui estas habilidades pois, como uma Pessoa, possui um intelecto.
Somente alguém com um intelecto tem a habilidade de explorar, examinar e buscar. E é isto o que o Espírito do Senhor pode fazer. Por exemplo, não podemos saber as coisas que Deus preparou para nosso futuro: "Mas Deus no-lo revelou pelo Espírito; porque o Espírito a todas as coisas perscruta, até mesmo as profundezas de Deus" (1 Co. 2.10, ênfase acrescentada).
O Espírito de Deus tem todo conhecimento, mas ainda assim, perscruta as profundezas e grandiosidade dos planos do Pai. E Ele compartilha deste conhecimento conosco. "Porque, qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o seu próprio espírito que nele está? Assim também as coisas de Deus ninguém as conhece, senão o Espírito de Deus" (v.11). Está claro nesta passagem que Ele não é apenas um Revelador da verdade, mas também um ser Que conhece a verdade.
A própria Bíblia declara que o Espírito Santo possui uma mente: "Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira com gemidos inexprimíveis. E aquele que sonda os corações sabe qual é a mente do Espírito, porque segundo a vontade de Deus é que ele intercede pelos santos" (Rm. 8.26,27, ênfase acrescentada).
Observe três coisas nesta passagem: Primeiro, o Espírito Santo ora por nós. Segundo, Ele sonda os corações. Terceiro, Ele possui uma mente ("mente do Espírito"). A palavra "mente" aqui tem amplo sentido compreendendo "as idéias de pensamento, sentimento e propósito."4
O Espírito Santo atua a nosso favor. O Senhor Jesus deixou isso claro quando prometeu que o Espírito Santo "ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito" (Jo. 14.26, ênfase acrescentada). O Espírito Santo também fez isso pela nação de Israel: "E lhes concedeste o teu bom Espírito, para os ensinar; não lhes negaste para a boca o teu maná; e água lhes deste na sua sede" (Ne. 9.20). Estes versículos acentuam o papel ativo do Espírito Santo como quem ensina ― uma ação que só é possível para um ser com intelecto.
Em João 15.26, vemos que Ele não só ensina, como também testifica: "Quando, porém, vier o Consolador, que eu vos enviarei da parte do pai, o Espírito da verdade, que dele procede, esse dará testemunho de mim" (ênfase acrescentada). Ele não só nos ajuda a testificar, como Ele Mesmo também testifica, uma ação que requer intelecto.
Em João 16.12-15, o Salvador se refere ao Espírito Santo como nosso guia. Como Ele guia? Ele "há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar" (v.15). Não é uma transmissão mística de conhecimento; é "ouvir" as coisas de Deus e "contá-las" àqueles que crêem (v.13). Esta ação de ouvir e repetir requer, claramente, um intelecto.

2. Ele tem uma vontade.

Quando Cristo retornou aos céus, deixou o Espírito Santo encarregado da Igreja. Ele possui Sua própria vontade e tem a responsabilidade de tomar decisões na terra.
A variedade de dons espirituais disponíveis aos crentes não é dada aleatoriamente. Paulo disse: "Mas um só e o mesmo Espírito realiza todas estas coisas, distribuindo-as, como lhe apraz, a cada um, individualmente" (1 Co.12.11, ênfase acres­centada) .
E estas obras, no Reino de Deus, também estão sujeitas à direção do Espírito do Senhor. Paulo disse aos presbíteros da igreja de Éfeso: "O Espírito Santo vos constituiu bispos..." (Atos 20.28, ênfase acrescentada).
Até mesmo Cristo advertiu as sete igrejas no Apocalipse, quando disse: "Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas..."(Ap. 2.7, ênfase acrescentada).
É vital que estejamos em sintonia com a direção do Espírito Santo.

3. Ele tem emoções.

O Espírito Santo não é uma entidade sem emoções, incapaz de ter compaixão ou preocupação. Ele é uma pessoa com sentimentos e coração. Eis duas formas como Suas emoções são expressas.

Primeira: o Espírito Santo pode amar.
Amor é mais do que uma característica do Espírito Santo, é Seu caráter.
Uma das minhas passagens preferidas foi escrita pelo apóstolo Paulo: "Rogo-vos, pois, irmãos, por nosso Senhor Jesus Cristo e também pelo amor do Espírito, que luteis juntamente comigo nas orações a Deus a meu favor" (Rm. 15.30).
Este versículo é muito especial para mim porque eu conheço pessoalmente o amor do Espírito Santo. Ele se importou comigo de uma forma muito especial.
Deixe-me te contar a maior história de amor que conheço. Deus me amou de tal maneira que enviou Seu Filho. Seu Filho me amou de tal maneira que morreu por mim. E o Espírito Santo me amou de tal maneira que veio e me revelou o Senhor Jesus. E o mesmo Espírito Santo continua a me amar e a me ajudar a ser cada vez mais como o Senhor Jesus.

Segunda: o Espírito Santo pode ser entristecido.
O Espírito de Deus é tão gentil e amoroso que foi comparado a uma pomba. Ele é facilmente entristecido. Da mesma forma como o Senhor Jesus ficou "condoído com a dureza dos corações"(Marcos 3.5, ênfase acrescentada), o Espírito Santo também pode ficar condoído com nossas ações ou atitudes erradas.
Paulo não estava falando ao mundo, mas à Igreja, quando deu esta severa advertência: "E não entristeçais o Espírito de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção" (Ef. 4.30).
A palavra "entristecer" significa "atormentar, causar mágoa, aborrecer, ofender, insultar ou causar dor." O Espírito Santo tem um coração delicado que chora facilmente por você e por mim. Fazemos com que Ele sinta dor, e até mesmo vergonha, quando deixamos de ter a vida cristã que deveríamos.
Um pouco antes da advertência de que não devemos entristecer o Espírito Santo, somos alertados para:
Não darmos lugar ao inimigo (Ef. 4.27).
Não furtarmos (v.28).
Não falarmos palavras torpes (v.29).
Daí Paulo prossegue nos dizendo como agradá-Lo, ao invés de entristecê-Lo. "Longe de vós toda a amargura, e cólera, e ira, e gritaria, e blasfêmias, e bem assim toda a malícia. Antes sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus em Cristo vos perdoou" (Ef. 4.31,32).
O Espírito do Senhor conhece nossos corações e mantendo-os puros e justos não O entristecemos.

4. Ele pode falar.

Pouco depois de ter começado a conhecer o Espírito Santo, li a passagem que declara: "E, porque vós sois filhos, enviou Deus aos nossos corações o Espírito de seu Filho, que dama: Aba, Pai." (Gl. 4.6, ênfase acrescentada).
Quando compreendi que o Espírito Santo nos enche e capacita a falar com intimidade com o Pai, clamei: "Senhor, enche-me e me capacita a falar com o Pai ― me capacita a orar da maneira que O agrada." E, de repente, das profundezas da minha alma, todo o meu ser estava clamando: "Pai, Pai."
Enquanto os crentes da Antioquia estavam adorando ao Senhor, " disse o Espírito Santo: Separai-me agora a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado" (Atos 13.2, ênfase acrescentada). É a adoração que convida a Sua presença, é a adoração que prepara o estágio para que Ele fale conosco e através de nós.
Paulo escreveu a Timóteo: "Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé,..."(1 Tm. 4.1, ênfase acrescentada).
O Espírito Santo não fala diretamente apenas, Ele também opta por falar através do Seu povo. Davi declarou: "O Espírito do Senhor fala por meu intermédio, e a sua palavra está na minha língua" (2 Sm. 23.2, ênfase acrescentada).
E lembre-se de que a voz do Espírito Santo não se limita a indivíduos especiais em ocasiões especiais. Ele anseia por falar com você hoje e sempre. E minha oração por você é para que você sempre ouça a Sua voz.

5. Ele pode ser ultrajado.

O autor do livro de Hebreus, discutiu os perigos do pecado depois de termos recebido conhecimento da verdade. Ele recordou o fato de que qualquer pessoa que rejeitasse a lei de Moisés morria, sem misericórdia, pelo depoimento de duas ou três testemunhas.
Depois ele perguntou: "De quanto mais severo castigo julgais vos será considerado digno aquele que calcou aos pés o Filho de Deus, e profanou o sangue da aliança com o qual foi santificado, e ultrajou o Espírito da graça}" (Hb. 10.29, ênfase acrescentada). Apalavra "ultraje" aqui carrega consigo a idéia de "tratamento com absoluto desprezo ou insulto arrogante."
Quando deixamos de reconhecer o significado da morte de Cristo na cruz por nós, ultrajamos o Espírito Santo.
Fiquei assustado quando, recentemente, um pastor anunciou:
¯ Não vamos cantar nenhum hino sobre o sangue. Contraria muitas pessoas.
Que ultraje ao Espírito Santo!
É perigoso retirar o sangue ou diminuir a importância do sacrifício de Cristo por nós e em nosso lugar. Quando isto acontece, você está fechando a porta para o Espírito Santo e dando lugar a Satanás. Lembre-se que, o Espírito Santo nunca teria sido enviado ao mundo no dia de Pentecostes se Cristo não tivesse derramado Seu sangue e voltado ao Pai.
Causa-me espanto o fato de que existem igrejas onde a mensagem de arrependimento e salvação nunca é apresentada. Cristo é mencionado como uma pessoa de boa moral, mas as pessoas nunca são convidadas a irem à Sua cruz para serem purificadas do pecado.
Por que uma questão tão séria assim ultraja o Espírito Santo? Porque resulta na perda da Sua presença ¯ algo que nunca quero experimentar.
A remoção da unção do Espírito Santo e da comunhão divina seria pior do que qualquer punição que posso imaginar.

6. É possível mentir para Ele.

Um dos Mandamentos que Deus deu a Moisés, para ser transmitido a Israel, foi "Não mentireis" (Lv. 19.11). O decreto não era apenas para dirigir nossos relacionamentos com o homem, mas também com o Espírito de Deus.
O apóstolo Pedro tinha um relacionamento crescente com o Espírito Santo. Ele conhecia a natureza gentil e sensível do Espírito Santo e como Ele podia se entristecer com facilidade. O intenso amor de Pedro pelo gentil Espírito Santo era tal que, como está registrado no livro de Atos, ele se enfureceu, com raiva santa, quando descobriu a conspiração entre Ananias e Safira para mentir para o Espírito Santo. Provavelmente, você já conhece a história, mas talvez tenha se indagado por que a punição deles foi tão severa.O casal tinha vendido uma propriedade e fingiu dar toda a quantia ao Senhor, quando, na verdade, tinha dado apenas uma parte. Pedro disse: "Ananias, por que encheu Satanás teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo, reservando parte do valor do campo?" (At. 5.3, ênfase acrescentada). Ele disse: "Como, pois, assentaste no coração este desígnio? Não mentiste aos homens, mas a Deus." (v.4, ênfase acrescentada). Primeiro Ananias, e depois Safira, caíram mortos depois de pecarem contra Deus, mentindo para o Espírito Santo (vs. 5,9,10).
Uma vez que o Espírito do Senhor é uma pessoa, é possível mentir para Ele. E nós, crentes, temos que ser muito cuidadosos e não podemos nunca nos esquecer que Ele é o Deus Todo-Poderoso!

7. Ele pode ser blasfemado.

Existe muita discussão sobre o "pecado imperdoável" ― blasfemar contra o Espírito Santo. O Senhor Jesus tratou desta questão quando disse: "Todo pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada... nem neste mundo nem no porvir" (Mt. 12.31,32, ênfase acrescentada).
É muito importante entender o contexto destes versículos. Jesus tinha acabado de expelir demônios de um homem possuído e no processo curou-o da cegueira e da mudez que o afligiam (Mt. 12.22). A reação da multidão que testemunhou estes milagres foi de admiração, dizendo: "É este, porventura, o Filho de Davi?" (v.23).
Porém, os fariseus tiveram uma reação diferente. Vendo o que o Senhor Jesus fez, entoaram: "Este não expele os demônios senão pelo poder de Belzebu, maioral dos demônios" (v.24). Por favor, compreenda que atitude deliberada foi esta. Eles eram estudiosos da lei, governantes das pessoas e testemunhas oculares dos milagres do Senhor Jesus. Em sua raiva, despeito e mesquinhez, sabendo exatamente o que estavam fazendo, atribuíram os milagres de Cristo às obras de Satanás. Atribuíram o poder do Espírito Santo, que estava atuando na vida do Senhor Jesus, a uma atuação de um espírito maligno.
Esta atitude horrorosa é blasfêmia contra o Espírito Santo, como o Senhor explica seriamente no relato escrito por Marcos: "Mas aquele que blasfemar contra o Espírito Santo não tem perdão para sempre, visto que é réu de pecado eterno" (Marcos 3.29).
Tanto em Mateus, quanto em Marcos, o pecado "imperdoável" foi, voluntariamente, atribuir a Satanás os milagres realizados por Cristo através do poder do Espírito Santo.5
Eu não gostaria de estar no lugar de alguém que, voluntariamente, aponta o dedo para a obra de Deus dizendo: "Isso é do demônio."
Se você se preocupa com o fato de cometer pecado imperdoável, é improvável que o cometa um dia. Blasfêmia é uma atitude voluntária e não um engano acidental.
A rejeição de Paulo a Cristo e a perseguição da Igreja, por exemplo, foram acidentais, o oposto de voluntário. Ele disse: "a mim que noutro tempo era blasfemo e perseguidor e insolente. Mas obtive misericórdia, pois o fiz na ignorância, na incredulidade" (1 Tm. 1.13, ênfase acrescentada). Ele experimentou o perdão total por seu pecado não intencional e tornou-se um dos maiores apóstolos na história da igreja.

8. Ele pode ser resistido.

Você pode imaginar o que significa resistir à Pessoa mais amável da terra? Esta é a constante prática daqueles que não O conhecem.
Estevão, cheio do Espírito Santo, colocou-se diante do Sinédrio ― a suprema corte dos judeus ― e disse: "Homens de dura cerviz e incircuncisos de coração e de ouvidos, vós sempre resistis ao Espírito Santo, assim como fizeram vossos pais, também vós o fazeis" (Atos 7.51).
Ele não estava falando com santos de Deus, mas com incrédulos ― aqueles que pareciam ser religiosos, mas que na verdade eram rebeldes.
Embora aqueles religiosos fossem circuncidados fisicamente, estavam comportando-se como os pagãos das nações não circuncidadas que cercavam Israel. Quando Cristo esteve na terra, eles O odiaram e lutaram contra tudo aquilo que Ele defendia.
Aí Estevão, defendendo sua fé, em face da morte, olhou seus acusadores e disse: "Vocês sempre resistiram ao Espírito Santo."
Rejeitar a Deus não era novidade para este povo exteriormente religioso. Você lembra o que os filhos de Israel estavam fazendo enquanto Moisés estava no Monte Sinai recebendo os Mandamentos? Estavam fazendo um bezerro de ouro, rejeitando a Deus e ao homem que falava por Ele. Disseram a Arão: "Levanta-te, faze-nos deuses que vão adiante de nós" (Êx. 32.1).
Uma resistência contínua ao Espírito Santo silenciará a voz de Deus, como Zacarias declara no capítulo 7, versículos 11-13: "Eles, porém não quiseram atender, e rebeldes deram as costas, e ensurdeceram os seus ouvidos para que não ouvissem. Sim, fizeram os seus corações duros como diamantes, para que não ouvissem a lei nem as palavras que o Senhor dos Exércitos enviara pelo seu Espírito mediante os profetas que nos precederam; daí veio a grande ira do Senhor dos Exércitos [que disse]. Visto que eu clamei e eles não me ouviram, eles também clamaram e eu não os ouvi, diz o Senhor dos Exércitos" (ênfase acrescentada). Ao invés de acatar as palavras do Espírito Santo, Israel, deliberadamente, ignorou-as. É muito perigoso se recusar a ouvir as palavras do Espírito Santo, porque pode-se chegar ao ponto onde Ele ignorará nossas palavras, se ignorarmos as dEle.
Ao longo do meu ministério, encontrei pessoas que resistiram ao mover do Espírito Santo ― não uma, mas dúzias de vezes. Agindo assim, elas aquietaram Seu Espírito. Aqueles que resistem ao Espírito Santo têm que compreender que Deus deu Seu alerta soberano: "O meu Espírito não agirá para sempre no homem" (Gn. 6.3). A Bíblia afirma que Deus é magnânimo, mas existe um limite para Ele tratar com o homem. Provérbios 29.1 diz:  "O homem que muitas vezes repreendido endurece a cerviz, será quebrantado de repente sem que haja cura."

9. Ele pode ser apagado.

O mundo resiste ao Espírito Santo, mas aqueles que crêem realmente podem apagá-Lo. A admoestação de Paulo: "Não apagueis o Espírito," é uma ordem clara (1 Ts. 5.19). A idéia usada é a de se apagar um fogo.
O apóstolo não estava falando aos pecadores, mas aos "irmãos"(v.12).
Qual a importância destas instruções? A seguir, uma lista dos mandamentos que elas incluem:
    reconhecer as pessoas que estão no ministério (v.12),
   viver em paz uns com os outros (v.13),
admoestar os insubmissos,
consolar os desanimados,
amparar os fracos,
ser longânimo para com todos (v.14),
não retribuir o mal por mal (v.15),
seguir sempre o bem, entre si, e para com todos (v.15),
regozijar sempre,
orar sem cessar,
em tudo dar graças (vs. 16-18).
Depois de apresentar esta lista maravilhosa como estando "dentro da vontade de Deus para você," Paulo declara: "Não apagueis o Espírito" (v.19, ênfase acrescentada).
Existe uma grande diferença entre resistir e apagar. Um incrédulo resiste a Ele, rejeitando a mensagem do Evangelho e recusando-se a permitir que o Espírito Santo atue em sua vida. O filho de Deus, entretanto, apaga a chama que já começou a queimar.
Conheço pessoas que oram por alguns dos dons do Espírito Santo ― mas não por todos eles. Oh, elas amam o dom da fé e o dom de discipular, ou o dom de dar, mas quando vem o poder sobrenatural de Deus e o dom de curar, elas acionam o extintor de fogo espiritual e apagam a chama.
Lembre-se sempre de que quando O apagamos, estamos negando-Lhe a oportunidade de abençoar e tocar nossas vidas e de tocar as vidas de outras pessoas através de nós.

O Círculo do Amor

Parece que todo o céu se une em seu leal e inabalável amor pelo Espírito Santo. No Antigo Testamento, vemos que o Espírito Santo era tão amado pelo Pai, que Ele O defendia de qualquer ataque. Enquanto vagavam pelo deserto, os filhos de Israel "foram rebeldes e contristaram o seu Espírito Santo pelo que se lhes tornou em inimigo, e ele mesmo pelejou contra eles" (Is.63.10).
Nos Evangelhos, vemos o Espírito Santo tão amado pelo Filho, que Ele adverte severamente os fariseus, que eram insolentes o suficiente para atribuir as obras do Espírito Santo a Satanás, com: "Não fale contra o Espírito Santo" (Mt.12.32).
No livro de Atos vemos o Espírito Santo tão amado por Pedro, que com grande ousadia este se levantou em Sua defesa, diante daqueles que procuravam mentir para Ele. Pedro disse em essência: "Jamais minta para Ele" (Atos 5.3).
No livro de Efésios vemos o Espírito Santo tão amado por Paulo, que este adverte a igreja de Éfeso: "Não entristeçais o Espírito de Deus" (Ef. 4.30).
Em tudo isso vejo o Pai, o Filho e a Igreja em guarda constante por Aquele que amam.
É absolutamente natural defendermos as pessoas pelas quais temos sentimentos profundos. Na Divindade, o Espírito Santo é Aquele sobre o qual somos alertados para não entristecer ou ultrajar.
Por isso o Senhor Jesus disse: "Você pode falar de mim e Eu perdoarei. Mas se falar dEle, não perdoarei."
Já perguntei a vários teólogos e procurei diligentemente nas Escrituras, mas não consegui encontrar em lugar nenhum a Palavra ordenando: "Não entristeçais o Pai" ou "Não entristeçais o Filho." Mas encontramos: "Não entristeçais o Espírito."

Um Novo Manto

Gostaria que existissem palavras para descrever minha introdução, que durou um ano, à pessoa do Espírito Santo. Durante todo o ano de 1974, o Deus Todo-Poderoso permitiu que eu entrasse em Seu mais íntimo santuário.
O ministério que o Senhor me confiou não tinha nascido da fraqueza e sim de uma visitação do Espírito Santo que transformou minha vida. Não recebi uma unção ou um "manto" de Kathryn Kuhlman, nem de qualquer outra pessoa. O que o Espírito do Senhor me deu era fresco e novo, e continua assim até hoje.
Noite após noite, me trancava em meu quarto ― às vezes até duas ou três horas da manhã, conversando e tendo comunhão com o Espírito Santo.
Na hora que eu dizia "Espírito Santo", Ele vinha. Meu quarto se enchia de uma atmosfera tão elétrica e tão maravilhosa que todo o meu corpo começava a vibrar. E à medida que aquela presença se intensificava, um formigamento vinha sobre mim. Às vezes era tão grande que eu me sentia fraco e não conseguia me mexer.
Eu não conseguia entender por que tinha tal sensação. Se eu estivesse em pé, caia no chão. Se estivesse na minha cama, tinha que dobrar as pernas debaixo de mim e me inclinar contra a parede.
Durante estes momentos, à medida que começava a falar com o Espírito Santo, cada palavra que saía da minha boca parecia ser forte, muito rica, com sentido e emoção. Perdia toda a noção do tempo, consciente apenas da riqueza da comunhão que estávamos compartilhando. Muitas vezes, durante estes períodos maravilhosos de comunhão, eu me ouvia dizendo palavras de amor e poesia para o Senhor Jesus e, literalmente, ouvia os recônditos do meu interior emitindo as coisas mais inacreditáveis para o Senhor. Oh, a doçura dos momentos de me dirigir ao Senhor Jesus com os nomes mais bonitos e celestiais...
Acabei conhecendo o Espírito Santo intimamente e entendi Seu grande amor pelo Senhor Jesus. Comecei a entender o que a Bíblia quer dizer quando declara que o Salvador é "distinguido entre dez mil" (Cantares 5.10), e por que o Espírito Santo usou tantos títulos maravilhosos para descrever Jesus Cristo, O todo amado. E no meu coração, um amor crescente pelo Senhor Jesus começou a se desenvolver. Realmente participei da experiência do músico, que perdido no louvor e na exaltação, declarou cheio de adoração:

Maravilhoso Salvador!
Das Nações o Senhor!
Filho de Deus e Filho do Homem!
Glória e honra,
Louvor e adoração
Seja para Ti hoje e por todo o sempre! 6

A Mudança em Cláudio

É impossível prever o que acontecerá quando o Espírito de Deus se torna real em sua vida.
Muitos meses depois do livro Bom Dia, Espírito Santo ter sido traduzido para o espanhol, um ministro de Buenos Aires, Argentina, tomou um avião até Orlando para conversarmos. Seu nome é Cláudio Freidzon.7 Cláudio é o pastor-fundador de uma igreja em Buenos Aires que tinha crescido para 3.000 pessoas em apenas quatro anos. Cláudio leu Bom Dia, Espírito Santo e se convenceu de que Deus estava dirigindo-o a Orlando para que eu orasse com ele. Embora muitos de seus amigos tivessem tentado demovê-lo da idéia, ele obedeceu ao Espírito Santo.
Durante o culto de domingo à noite, fiz imposição de mãos sobre ele e orei para que Deus fizesse uma grande obra na Argentina. O que eu não sabia era que a mensagem daquele livro tinha transformado totalmente sua vida. O Espírito Santo tinha se tornado poderosamente real para ele e estava para se tornar poderosamente real para multidões de argentinos.
Quando Cláudio retornou à Argentina, começamos a ouvir relatos impressionantes. Ele começou a pregar a mensagem da realidade do Espírito Santo e o avivamento varreu o país. A medida que Cláudio conduzia as pessoas em uma experiência de louvor e adoração, missionários relataram que a glória do Senhor parecia descer sobre os cultos. A revista da Assembléia de Deus, Mountain Movers (Os Que Movem Montanhas), relata que "em dezembro de 1992, Cláudio alugou um auditório de 12.000 lugares, o maior de Buenos Aires, para um culto. Quando o prédio estava lotado e a polícia fechou as portas, 25.000 pessoas continuaram esperando em fila, obstruindo duas avenidas importantes. Elas esperaram 3 horas para um segundo culto.8 O que começou como um desejo de Cláudio de seguir o Espírito Santo, espalhou-se para centenas de pastores e igrejas.
Mais de 2.000 ministros foram da Argentina para nossas cruzadas nos Estados Unidos para testemunhar a atuação do poder de Deus, e retornaram ao seu país com o poder de Deus para suas vidas e ministérios.
E, recentemente, quando conduzimos uma cruzada em Buenos Aires, mais de 100.000 pessoas estiveram presentes, só no primeiro culto. Mas tudo teve início com a ida de Cláudio Freidzon a Orlando.
Se você estiver pronto para experimentar a atuação do Espírito Santo, deixe-me convidá-lo primeiro a conhecê-Lo como uma pessoa. Como R. A. Torrey disse: "Antes de poder entender corretamente a atuação do Espírito Santo, é preciso, antes de mais nada, conhecer o Espírito em Si. Uma fonte freqüente de erro e fanatismo sobre a obra do Espírito Santo é a tentativa de se estudar e entender Sua obra, sem primeiro conhecê-Lo como uma pessoa." 9

O Espírito Santo é Divino

Ele é uma Pessoa, sim, mas você também precisa entender que Ele é uma Pessoa divina. Assim como o Pai (Jo. 6.27; Ef. 4.6) e o Filho (Hb. 1.8) são divinos, o Espírito Santo também é (Atos 5.3,4). O Senhor Jesus comunicou a plenitude da divindade do Espírito quando disse: "Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo" (Mt. 28.19). Se o Espírito Santo não fosse divino, não O encontraríamos ligado, em igualdade, ao Pai e ao Filho nas Escrituras.Pedro refere-se ao Espírito Santo em Atos 5.4 como "Deus". Quando Ananias e Safira retiveram parte do ganho com a venda da propriedade deles e fingiram que tinham dado toda a quantia, Pedro perguntou: "Ananias, por que encheu Satanás teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo, reservando parte do valor do campo?" (Atos 5.3, ênfase acrescentada). Depois ele disse: "Não mentiste aos homens, mas a Deus" (v.4, ênfase acrescentada).
Não existe diferença entre mentir para o Espírito Santo ou para Deus, porque o Espírito Santo é divino, isto é, possui, com plenitude, todos os atributos da divindade.
Ele não é apenas o Espírito Santo de Deus, mas também é Senhor. A Bíblia declara: "Ora o Senhor é o Espírito; e onde está o Espírito do Senhor aí há liberdade" (2 Co. 3.17, ênfase acrescentada). E, além disso, "Nós... somos transformados de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito" (v.18, ênfase acrescentada).
O Salmo 95 é uma maravilhosa declaração de louvor ao Senhor. O versículo um nos chama a cantar "ao Senhor," e depois prossegue para louvar quem Ele é e o que Ele faz. Achamos esta mesma passagem citada em Hebreus 3.7-11, mas onde o salmista usa Senhor, o autor do livro de Hebreus atribui as mesmas palavras para o Espírito Santo: "Assim, pois, como diz o Espírito Santo: 'Hoje se ouvirdes a sua voz, não endureçais os vossos corações como foi na provocação no dia da tentação no deserto... (Hb. 3.7,8).
Quem está falando? O "Espírito Santo" que falou em Hebreus 3, é o mesmo "Senhor" que falou no Salmo 95. O Espírito Santo é tão Deus quanto o Pai e o Filho. Eles são Três em Um. Ele é o Deus de Abraão, Isaque e Jacó. Lembre-se sempre que tanto o Antigo quanto o Novo Testamentos reconhecem o Espírito Santo como Deus e Senhor.
Meu amigo, você nunca conseguirá começar a dar ao Espírito Santo o lugar que pertence a Ele, até ver quem Ele é. Mas quando você vê quem Ele é, pode começar a apreciar o que Ele faz.
Para compreender totalmente a obra do Espírito Santo, precisamos entender que Ele não é apenas um embaixador do Todo-Poderoso ― é um membro divino da Divindade. Como Billy Graham disse: "Não existe nada que Deus seja que o Espírito Santo não seja. Todos os aspectos essenciais da divindade pertencem ao Espírito Santo." 10
Como um jovem cristão, antes do encontro com o Espírito Santo que mudou minha vida, eu não O conhecia realmente, nem tinha comunhão com Ele. Ele era uma entidade inescrutável e distante, que eu reverenciava e temia mais do que amava. Ele não tinha sido revelado à luz que O vejo hoje. Agora O conheço como Deus Todo-Poderoso, igual ao Pai e ao Filho em glória, majestade, honra e beleza e já experimentei de Seu doce amor. E, assim como os outros membros da Trindade, o Espírito Santo possui três características que O distinguem.

O Espírito Santo É Onipresente

O Espírito Santo é onipresente ¯ está presente em todos os lugares. Geralmente, quando estou longe da minha família durante uma Cruzada ou dando a palavra em uma reunião, ouço algo engraçado e quero contar à minha mulher, mas não posso porque ela está em Orlando. Ou vejo uma criança fazendo algo que me lembra um dos meus queridos filhos e, nestes momentos, morro de saudades deles.
Por todas as ramificações teológicas da onipresença, o que tem maior significado para mim sobre a onipresença é que a Pessoa mais maravilhosa e cheia de graça que existe, está comigo onde quer que eu vá. Nunca tenho que sentir Sua falta, nunca tenho que desejar que Ele estivesse comigo, nunca tenho que viajar para um lugar e deixá-Lo para trás.
Onde quer que eu vá, Ele está lá. Amo o que o salmista escreveu:

Para onde me ausentarei do teu Espírito ?
para onde fugirei da tua face ?
Se subo aos céus, lá estás;
se faço a minha cama no mais profundo abismo,
lá estás também;
se tomo as asas da alvorada
e me detenho nos confins dos mares:
ainda lá me haverá de guiar a tua mão
e a tua destra me susterá. (Sl. 139.7-10)

O Espírito Santo É Onisciente

A Terceira Pessoa da Trindade tudo sabe. Um grande número de versículos deixam isto claro. Por exemplo, Isaías perguntou: "Quem guiou o Espírito do Senhor? ou, como seu conselheiro o ensinou? Com quem tomou ele conselho para que lhe desse compreensão? Quem o instruiu na vereda do juízo e lhe ensinou sabedoria e lhe mostrou o caminho de entendimento?" (Is. 40.13-14, ênfase acrescentada). Paulo acrescenta: "o Espírito a todas as coisas perscruta, até mesmo as profundezas de Deus. Porque, qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o seu próprio espírito que nele está? assim também as coisas de Deus ninguém as conhece, senão o Espírito de Deus" (1 Co. 2.10,11, ênfase acrescentada). Lewis Sperry Chafer diz isso muito bem: "...ninguém pode negar que, se o conhecimento que o Espírito possui alcança as profundezas de Deus, então, da mesma maneira, tudo o mais é compreendido por Ele." 11
O Espírito de Deus não conhece apenas as coisas de Deus, Ele conhece tudo sobre você ¯ Ele conhece você melhor do que você mesmo. As palavras do salmista sobre Deus se relacionam totalmente com o Espírito Santo: "Senhor, tu me sondas e me conheces. Sabes quando me assento e quando me levanto; de longe penetras os meus pensamentos. Esquadrinhas o meu andar e o meu deitar, e conheces todos os meus caminhos. Ainda a palavra me não chegou à língua, e tu, Senhor, já a conheces toda. Tu me cercas por trás e por diante," (S1.139.1-5a).O Espírito Santo coloca este conhecimento à disposição de Seus servos através da "palavra de conhecimento," que é uma percepção da condição de vida de uma pessoa. No meu caso, Ele não só me revela certas enfermidades, como também me diz o que fazer e, algumas vezes, me revela o que Ele está fazendo durante o culto. É assim que sei quem Ele está curando e do que, quais as músicas que Ele quer que eu cante e o que devo fazer depois. Obedeço a direção do Espírito Santo por causa de Sua onisciência. Confio completamente nEle.

O Espírito Santo É Onipotente

A onipotência do Espírito Santo é demonstrada de forma conclusiva através de três atos poderosos:

Criação, trazer o universo do nada
Animação, dar vida ao que estava sem vida
Ressurreição, trazer vida da morte

O Espírito Santo envolveu-se ativamente na criação do universo, Ele "pairava por sobre as águas" (Gn. 1.2). Comentando este versículo, Allen Ross observa muito corretamente: "Foi através do Espírito que o Senhor Deus criou, soberanamente, tudo o que existe".12
O Espírito Santo também envolveu-se ativamente na obra de animação, isto é, dar vida. "O Espírito de Deus me fez; e o sopro do Todo-Poderoso me dá vida" (Jó 33.4).
Chegamos ao ponto máximo com o poder do Espírito Santo na ressurreição do Senhor Jesus. Porque a Bíblia diz: "Pois também Cristo morreu, uma única vez, pelos pecados, o justo pelos injustos, para conduzir-vos a Deus; morto, sim, na carne, mas vivificado no espírito" (1 Pedro 3.18, ênfase acrescentada). Com todo o poder que nós, humanos, possuímos, através da nossa habilidade e ciência, nenhum humano conseguiu ainda trazer os mortos de volta à vida. Mas o Espírito Santo conseguiu e o Espírito Santo conseguirá! E, ao olhar o dia daquela ressurreição, não se esqueça que este tremendo poder de ressurreição está ao seu alcance agora.

Também oro para que sejam "iluminados os olhos do vosso coração, para saberdes qual a esperança de seu chamamento, qual a riqueza da glória da sua herança nos santos, e qual a suprema grandeza do seu poder para com os que cremos, segundo a eficácia da força do seu poder; o qual exerceu ele em Cristo, ressuscitando-o dentre os mortos, e fazendo-o sentar à sua direita nos lugares celestiais, acima de todo principado, e potestade, e poder, e domínio, e de todo nome que se possa referir não só no presente século, mas também no vindouro. E pôs todas as coisas debaixo dos seus pés e, para ser o cabeça sobre todas as coisas, o deu à igreja, a qual é o seu corpo, a plenitude daquele que a tudo enche em todas as coisas" (Ef. 1.18-23).

É hora de viver, trabalhar e ministrar aos outros, não com sua própria força, mas no tremendo poder de ressurreição do Espírito Santo!
Toda vez que olho para uma luz elétrica, entendo que a fonte daquela luz está escondida da nossa visão. Em algum lugar existe um gerador produzindo força. Nem sempre consideramos ou entendemos isto ― mas desfrutamos dos benefícios. Ele é a fonte da vida abundante que desfrutamos.
Sim, quando você conhecer o Espírito Santo, descobrirá que Ele é a "força do Altíssimo", aprenderá que nada acontece em sua vida sem Seu poder, e tornar-se-á cada vez mais dependente dEle para sua caminhada cristã diária, glorificando o Senhor Jesus diariamente. Você aprenderá que Ele não é apenas poderoso e forte, mas também é gentil, sensível e meigo. E iluminarão seu caminho.

O Espírito Santo É Eterno

O escritor de Hebreus declara: "muito mais o sangue de Cristo que, pelo Espírito eterno, a si mesmo se ofereceu sem mácula a Deus, purificará a nossa consciência de obras mortas para servirmos ao Deus vivo!" (Hb. 9.14, ênfase acrescentada).
Ele é eterno, sempre foi, é e será. Não tem princípio nem fim. O Espírito Santo não apareceu repentina e abruptamente quando foi enviado à terra para dar poder aos crentes, depois da ascensão de Cristo. Fiel, constante e amoroso ¯Ele é e sempre será o mesmo e, o eterno Espírito Santo, jamais deixará você cair. Ele é o mesmo, ontem, hoje e sempre!Depois que conheci o Espírito Santo descobri que Ele é fiel, constante e muito amoroso. Ele nunca muda, nunca deixa você cair e é sempre compreensivo e muito paciente. Verdadeiramente, acabei de conhecê-Lo ¯ e ainda existe muita coisa a ser descoberta sobre Ele. Fico muito feliz por ter a eternidade para conhecê-Lo!

Tio Michael

Ainda lembro do delicioso cheiro de couro do Ford modelo T (nota do tradutor: No Brasil este modelo ficou conhecido como Ford Bigode) do meu tio Michael. Para um observador qualquer, era um carro antigo, mas para mim era a máquina do tempo, um veículo que me transportava para os lugares que tinha lido a respeito na Bíblia. No início dos anos sessenta, quando eu era garoto, sendo criado em Israel, explorar a costa ocidental e a velha cidade de Jerusalém com tio Michael em seu Ford modelo T era, absolutamente, a maior aventura que eu conhecia.
¯ São caveiras de verdade? ¯ perguntei com os olhos arregalados como pires. Diante de mim havia fileiras e mais fileiras de caveiras. O Monastério Ortodoxo Grego, que era o depósito daquelas caveiras, sustentava que eram as caveiras dos preciosos meninos mortos por Herodes em sua tentativa louca de acabar com Aquele que tinha nascido como Rei dos Judeus.
¯ Oh, sim ¯ Tio Michael respondeu e logo saiu para me contar a terrível história da noite daquela chacina, dos choros de lamento das mulheres que teriam trocado suas vidas com alegria pelas vidas de seus filhos. Coloquei-me como uma daquelas crianças, minha mãe soluçando sendo arrancada do caminho com violência pelos centuriões que vêm em minha direção com espadas em punho.
¯ Nunca esqueça isso, Benny, ¯ meu tio disse ¯ mesmo que o homem faça o pior, os propósitos de Deus não falharão.
Eu só podia ver tio Michael, e o resto da família da minha mãe, poucos dias por ano. Veja, morávamos em Israel enquanto o tio Michael e toda a família da minha mãe viviam na costa ocidental, em Ramala, uma cidade dominada pela Jordânia antes de 1967. Minha família vivia em Israel e, embora estivéssemos a poucos quilômetros de distância uns dos outros, só nos víamos uma vez por ano, no Natal, quando viajar para a costa ocidental era permitido. Dependendo do dia da semana em que caía o Natal, tínhamos no máximo de dois a quatro dias.
As comunidades armênias, católicas e ortodoxas, geralmente, celebravam o Natal em datas diferentes. Fico um pouco embaraçado ao contar isso, mas dependendo da data que nos daria mais dias em Ramala, meu pai (que não era salvo na época) dizia aos guardas da fronteira que éramos armênios, católicos ou ortodoxos! Devo confessar que fico feliz pelos guardas da fronteira verem isso de outra forma.
Não dá para dizer como eu aproveitava o período em que estava com tio Michael. Eu costumava sonhar com isso com meses de antecedência. Posso descrever seu carro muito melhor do que sua casa, porque nossas viagens à casa de tio Michael eram uma constante pelas estradas.
No início dos anos sessenta, quando o programa de televisão "Missão Impossível" era famoso na América, tio Michael tinha sua própria "missão impossível": abarrotar seu Ford modelo T com o maior número possível de parentes (o que significava muitos na época) e visitar o maior número de lugares possível da costa ocidental, durante os poucos dias que tínhamos juntos.
Tio Michael levava as duas partes da sua missão muito a sério. E o resultado era: no Ford iam tio Michael, minha mãe, meus irmãos Chris e Willy, minha irmã Rose, meus três primos ¯ e eu. Sem cinto de segurança, sem airbags, amarrotados, sacudindo de um lado para o outro, íamos pelas colinas da Judéia, esperando um acidente. Cantávamos juntos, fofocávamos (em várias línguas de uma vez), brigávamos para conseguir mais espaço, comíamos com voracidade e gritávamos o caminho para tio Michael ¯ tudo ao mesmo tempo. Era maravilhoso.
E os lugares que íamos! Veja, tio Michael não consultava um guia de turismo para escolher os lugares que iríamos visitar; ele consultava a Bíblia.Fomos a Jericó, ao túmulo de Absalão, à Igreja do Santo Sepulcro, ao Gólgota (lugares tradicionais), à velha cidade de Jerusalém e aos mercados. Realmente, exploramos cada recanto e gruta daquela cidade grande e histórica. Visitamos Belém, e não apenas a manjedoura ¯ lugares fora de mão que poucas pessoas visitam. Fomos a todos estes lugares, e outros, em tempo recorde e com muito entusiasmo e amor. Estas lembranças são sagradas para mim.
E, em todo lugar, tio Michael nos contava as histórias da Bíblia que se relacionavam com o que estávamos visitando. Oh, aquilo aumentava tanto a profundidade e riqueza das histórias. Minha compreensão do contexto das histórias da Bíblia não vinha de um livro, mapa ou guia ¯ vinha dos lugares que realmente vi e senti.
Através do tio Michael, das excursões que fazíamos na escola e simplesmente por viver na terra da Bíblia, pude adquirir, com pouca idade, conhecimento dos lugares onde os eventos registrados na Bíblia realmente aconteceram, e tudo permanece gravado na minha memória até hoje.

O Colégio de Freiras

Do momento em que meu pai me colocou na pré-escola, as freiras e os monges me ensinaram o catecismo da Igreja Católica, usando o Novo
Testamento em francês.
Durante os anos do ciclo básico, estudamos
as Leis e os Profetas do Antigo Testamento em hebraico, no colégio de freiras da minha cidade natal, Haifa, Israel. Vivendo em Israel, estudávamos o Antigo Testamento muito semelhantemente à forma como a história da América deve ser ensinada hoje aos nossos filhos. O Antigo Testamento continha a história da nossa nação. Este treinamento deu-me a substrutura onde pude sustentar a grande revelação do drama da redenção.

A Escola do Espírito

Depois de mais de uma década de ensinamento Bíblico, uma vida vivida na Terra Santa e minhas maravilhosas viagens com tio Michael, eu tinha assimilado mais conhecimento da Palavra de Deus do que tinha consciência. Dava para dizer que eu dominava a Bíblia ¯ mas a Bíblia não me dominava. Não até eu ter nascido de novo em Toronto, foi então que tudo o que tinha aprendido começou a ter um novo sentido e significado para mim.
Daí, quando o Espírito Santo explodiu em cena, a Palavra tornou-se como um fogo que queimava dentro de mim. De repente, a Bíblia abundava em clareza, convicção, maravilha e poder. Eu tinha fome de aprender mais sobre a história e geografia dos profetas ¯ eu ansiava por conhecer o que se passava nos corações dos profetas. Pude, finalmente, identificar-me com o profeta Isaías quando ele declarou: "Com minha alma suspiro de noite por ti, e com meu espírito dentro em mim, eu te procuro diligentemente" (Is. 26.9). À medida que o Senhor começou a me revelar Sua Palavra, descobri que, assim como a vinda do Senhor Jesus tinha sido prevista pelos profetas, a vinda do Espírito Santo também foi prevista.

Preparando O Caminho

No Antigo Testamento, o Espírito de Deus repousava sobre indivíduos específicos, que eram designados para realizar a missão especial do Senhor. Alguns eram indivíduos comuns e outros eram reis e sacerdotes. Moisés sabia o que era sentir a presença de Deus e orou: "Oxalá todo o povo do Senhor fosse profeta, que o Senhor lhes desse o seu Espírito!" (Nm. 11.29).
O clamor de seu coração seria respondido um dia, quando Deus enviasse Seu Espírito Santo sobre Seu povo, o que ocorreu no dia de Pentecostes. Deus começou a falar nos tempos do Antigo Testamento, através de Seus servos, os profetas, sobre esta grande visitação que, com certeza, ocorreria. O Senhor prometeu: "E acontecerá depois que derramarei o meu Espírito sobre toda a carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão, vossos velhos sonharão, e vossos jovens terão visões" (Joel 2.28, ênfase acrescentada). Depois disse a Isaías: "derramarei água sobre o sedento, e torrentes sobre a terra seca; derramarei o meu Espírito sobre a tua posteridade, e a minha bênção sobre os teus descendentes" (Is. 44.3, ênfase acrescentada).
E através do profeta Ezequiel, que ministrou posteriormente, Deus disse: "Porei dentro em vós o meu Espírito, e farei que andeis nos meus estatutos, guardeis os meus juízos e os observeis" (Ez. 36.27, ênfase acrescentada).
Ezequiel descreveu uma visão incomum. Ele viu um vale cheio de ossos secos. O Senhor pediu-lhe: "Profetiza a estes ossos, e dize-lhes: Ossos secos, ouvi a palavra do Senhor." (Ez.37.4).
Eis o que Deus prometeu. Ele disse que assopraria nos ossos e que eles viveriam. Enquanto Ezequiel profetizava, houve um ruído ¯ um barulho de ossos que batiam contra ossos. Os ossos se juntaram. Apareceram tendões e carne e foram cobertos de pele. E, "o espírito entrou neles e viveram e se puseram em pé, um exército sobremodo numeroso" (v.10).
A visão de Ezequiel retratou um evento futuro. Deus disse: "Porei em vós o meu Espírito, e vivereis" (Ez. 37.14, ênfase acrescentada).
Este grande acontecimento profético foi prometido pelo Senhor em Provérbios 1.23: "Atentai para a minha repreensão, eis que derramarei copiosamente para vós outros o meu espírito, e vos farei saber as minhas palavras" (Pv. 1.23, ênfase acrescentada). Observe que a palavra hebraica para "espírito" aqui "ruach", pode e, na minha opinião, deve, ser traduzida como "Espírito".
A poderosa visitação que transformou minha vida também foi mencionada, há muito tempo atrás, pelos servos de Deus do Antigo Testamento, incluindo Isaías, Ezequiel e Joel. E Ele disse a Zacarias: "Não por força nem por poder, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos" (Zc. 4.6). Como a palavra de Deus para os profetas se cumpriria? Quando Ele iria enviar Seu Espírito ao mundo?

Jesus Fez Uma Promessa

Com relação à vinda do Espírito Santo, o Senhor Jesus, em momentos importantes de Seu ministério, disse aos discípulos para estarem preparados para um derramar do alto. Primeiro Ele disse que Sua volta para os céus era do interesse deles. "Mas eu vos digo a verdade: Convém-vos que eu vá, porque se eu não for, o Consolador não virá para vós outros; se, porém, eu for, eu vo-lo enviarei" (Jo. 16.7).
Existia um grande motivo para que o Senhor deixasse a terra quando o fez. Enquanto Jesus Cristo, a Segunda Pessoa da Trindade, estava aqui em carne, estava limitado da seguinte forma: somente poucas pessoas podiam conhecê-Lo, ouvi-Lo e ter um relacionamento com Ele. Havia doze apóstolos, mas apenas três deles desenvolveram um relacionamento íntimo e pessoal com o Senhor Jesus ¯ Pedro, Tiago e João. O Senhor Jesus estava limitado ao Seu corpo na terra.
O Salvador disse: "Tenho ainda muito que quero contar e mostrar-lhes, mas não posso." Mais, Ele tinha muito para ensiná-los, mas sem a atuação do Espírito Santo, para ajudá-los a compreender e aplicar o que o Senhor Jesus ensinava, eles só podiam aprender aquele tanto.
Eles não suportariam tudo o que Ele poderia ter ensinado enquanto estava na terra (Jo. 16.12). O Senhor Jesus declarou, de maneira branda: "quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará as coisas que hão de vir. Ele me glorificará porque há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar. Tudo quanto o Pai tem é meu: por isso é que vos disse que há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar" (Jo. 16.13-15).
Nada podia substituir os momentos maravilhosos que os discípulos tinham com o Senhor ― testemunhando milagres e ouvindo a voz do Mestre. E, ainda assim, Ele disse: "Convém-vos que eu vá." Depois fez a seguinte promessa: "E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco" (Jo. 14.16).
Havia muitas coisas que o Senhor queria dividir, mas eles não estavam prontos para recebê-las ainda, porque Ele disse: "Tenho ainda muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora" (Jo. 16.12).
Fico feliz pelo fato do Senhor ter acrescentado a palavra "agora". Eles se aconchegaram nesta tremenda promessa de que viria um tempo onde conseguiriam entender as verdades transformadoras que Ele queria dividir com eles, o que aconteceu depois que o Espírito Santo veio no Dia de Pentecostes.

Falando ao "Homem Interior"

Quando o Senhor Jesus estava na terra, muito daquilo que Ele ensinou não foi totalmente compreendido por Seus seguidores. Algumas vezes, Ele teve que repreender Seus ouvintes dizendo: "Por que têm tão pouca fé? Vocês não vêem? Não conseguem entender?"
A mente natural realmente tem grande dificuldade para receber as coisas de Deus. Este é um dos motivos pelos quais o Senhor Jesus geralmente falava em parábolas.
O Senhor Jesus sabia que quando o Espírito Santo fizesse Sua entrada, os discípulos descobririam mais sobre o Mestre do que quando andava com eles na terra. O Espírito Santo revelaria o Senhor Jesus aos seus corações. E como resultado disso, conseguiriam finalmente receber a verdade, retê-la e viver com a abundância de vida que o Salvador tinha para eles.
Jesus, nosso Senhor, fez a seguinte promessa: "quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará as coisas que hão de vir" (Jo. 16.13).
Agora que o Espírito Santo veio, você e eu podemos receber a verdade que muitos buscaram diligentemente nos tempos antigos e não conseguiram alcançar. Mas por causa da vinda do Espírito Santo, a verdade de Deus está disponível para todo crente faminto e que busca a verdade que encherá nossos corações, não apenas nossas mentes.

Você Foi Adotado!

Quando me tornei cristão, meu pai na terra e eu nos afastamos. Naquela época, ele não conseguia compreender ¯ apenas perdoar ¯ minha fé. Durante estes anos de conflito em nossa casa, eu tinha apenas um lugar para me voltar. Através da maravilhosa obra do Espírito Santo, meu Pai celestial tornou-se real para mim, provendo, abundantemente, o aconchego e intimidade que tanto faltavam em casa. Muitas vezes, no momento que eu dizia a palavra "Pai", começava a chorar. Através do Espírito Santo tive um relacionamento crescente com Ele e, oh, como isso me confortava!
E ainda mais importante, fui adotado pela família de Deus. Comecei a entender o que o Senhor Jesus quis dizer quando falou: "Não vos deixarei órfãos, voltarei para vós outros" (Jo. 14.18).
E o Espírito Santo que muda nosso estado de órfãos para o de filhos de Deus, com todos os direitos e privilégios. Quando Ele vem, começamos a entender o amor e a graça do Pai. Paulo disse: "Porque não recebestes o espírito de escravidão para viverdes outra vez atemorizados, mas recebestes o espírito de adoção, baseados no qual clamamos: Aba, Pai" (Rm. 8.15).
Nossa adoção começa na salvação. "Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus; a saber: aos que crêem no seu nome;" (Jo. 1.12). E como filho de Deus regozijo todos os dias por ter sido perdoado,reconciliado e me tornado dEle, porque a Bíblia diz:"nos predestinou para ele, para a adoção de filhos, por meio de Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua vontade" (Ef. 1.15, ênfase acrescentada).
E lembre-se de que é o Espírito Santo que torna possível que todo aquele que crê seja bem-vindo na família de Deus.

"Eu Quero!"

É impossível glorificar ao Senhor Jesus Cristo, a menos que o Espírito Santo divulgue a verdade. A Bíblia diz: "Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar" (Jo. 16.14). Exaltar o nome do Senhor Jesus não é apenas dizer, "Te glorifico" ou "Te louvo". É mais do que isso. Acontece através de nossas atitudes ¯ com cada palavra e cada feito, enquanto vivemos o resto de nossas vidas no poder do Espírito Santo, vivendo diariamente na Sua verdade. Quando isto ocorrer, então o mundo será reprovado do pecado, e as pessoas, por causa da maneira como vivem, estarão debaixo do poder do Espírito Santo que convence.
O Senhor Jesus também disse que quando o Espírito Santo vier "convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo" (Jo. 16.8).
Meu amigo Jim Poynter costumava me falar sobre os grandes evangelistas de anos passados, John Wesley, Charles Finney e Dwight L. Moody. Relata-se que eles carregavam a presença do Senhor de uma forma tal que, em várias ocasiões estes homens simplesmente caminhavam até a plataforma e o público já sentia o poder penetrante do Espírito Santo.
Quando Jonathan Edwards pregou seu famoso sermão, "Pecadores Nas Mãos de Um Deus Irado", as pessoas que o ouviram gritaram: "Oh, Deus, liberte-me!" Elas, literalmente, caíram de joelhos implorando misericórdia.1

Uma Chama Que Queima

Você pode se sentir como uma vela insignificante em um mundo gigante. Mas quanto mais escuro é o mundo, mais sua luz brilhará, cortando a noite com a verdade do Espírito de Deus. João 1.5 diz: "A luz resplandece nas trevas, e as trevas não prevalecem contra ela" (ênfase acrescentada). A palavra "prevalecer" em grego significa "se apossar, agarrar, vencer, compreender com a mente, entender." A idéia aqui é de que as trevas não conseguem entender a luz, nem apagá-la.2 As pessoas que te cercam, e que estão nas trevas, não te entenderão, mas as trevas onde elas estão nunca apagarão sua luz. A luz tem poder ¯ e você tem a luz.
Anime-se e seja corajoso; se você é a única luz, as pessoas te seguirão e implorarão: "mostre-me o caminho." Você pode conduzi-las com autoridade dizendo: "Seu nome é Jesus."
Lembre-se de que você não está carregando uma vela. Você é a chama. O Senhor Jesus vive dentro de você e, através do Espírito Santo, existe uma luz brilhando fora de você.
De acordo com meu medidor de luz, o mundo está ficando mais escuro e nós estamos Ficando mais brilhantes, e o Espírito Santo é o poder que mantém nossa chama ardente.
Alguém pode chegar em você e dizer: "Você tem algo que não tenho. E seja lá o que for, eu quero!"
Alegre-se ¯ a verdade é: você tem Alguém, não algo! É o poder do Espírito Santo operando.
Tudo o que o Pai tem, deu ao Senhor Jesus, e tudo o que o Senhor Jesus tem, Ele quer que você tenha. E a única forma de receber é através do Espírito Santo. O Senhor Jesus disse: "Tudo quanto o Pai tem é meu; por isso é que vos disse que há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar" (Jo. 16.15).
Neste versículo, o Senhor Jesus estava nos dizendo que não poderíamos receber nada dEle sem que o Espírito Santo nos capacitasse.
E é por causa da Terceira Pessoa da Trindade que podemos orar: "Espírito Santo, diga-me mais a respeito do Senhor Jesus. Mostre-me mais. Divida comigo coisas que ainda não conheço."
As pessoas geralmente indagam: "O que torna a vida cristã tão emocionante?" Creio que seja pelo fato do Espírito Santo estar sempre revelando algo único e original. Com certeza, a vida cristã nunca é sem graça ou monótona.
Quando o Senhor Jesus estava para voltar ao Pai, falou para os discípulos não ficarem tristes devido aos maravilhosos benefícios de uma vida cheia do Espírito que iriam receber. "Pelo contrário, porque vos tenho dito estas coisas, a tristeza encheu o vosso coração. Mas eu vos digo a verdade: Convém-vos que eu vá, porque se eu não for, o Consolador não virá para vós outros; se, porém, eu for, eu vo-lo enviarei" (Jo. 16.6,7).

O Dia Que o Espírito Veio

Depois da emocionante ascensão do Senhor Jesus Cristo aos céus, cento e vinte dos Seus seguidores se reuniram no cenáculo (Atos 1.15). Estavam obedecendo às palavras do Senhor Jesus quando lhes ordenou que "não se ausentassem de Jerusalém, mas esperassem a promessa do Pai" (Atos 1.4).
Quem eram estes crentes? A Bíblia relaciona alguns nomes em Atos 1.14. Maria, mãe de Jesus estava lá. Ela tinha sentido que o poder de Deus  tinha vindo sobre ela quando Jesus foi concebido, mas ela ia sentir o  Espírito Santo de uma forma diferente nessa hora.
• Os irmãos do Senhor Jesus, que então criam nEle, também estavam lá.
• Simão Pedro, que tinha negado o Senhor três vezes, estava lá e estava para receber a Promessa do Pai.
• João, filho do trovão, o amado apóstolo estava lá.
• Mateus, o cobrador de impostos, que tinha deixado seu trabalho para seguir o Senhor Jesus, também estava lá.
Quem eram os outros desse grupo ardoroso de cento e vinte pessoas? A Bíblia não nos diz, mas creio que determinadas pessoas podiam muito bem estar lá.
Como Jairo poderia ficar de fora? Sua filha tinha sido ressuscitada (Lucas 8:.41-56).
• E quanto a Zaqueu, o publicano com o qual Jesus se hospedou em Jericó? (Lucas 19.1-10).
• E Maria Madalena, que tinha sido liberta do poder demoníaco (Lucas 8.1-3).
• E Bartimeu, cujos olhos cegos tornaram a ver. Como ele poderia ficar de fora?
• E tantas outras pessoas que o Mestre tinha tocado e curado. Como elas poderiam ficar de fora?
Durante dez dias eles esperaram e oraram pela promessa.
Depois, enquanto estavam no mesmo lugar, em concordância, o Espírito Santo fez Sua entrada. Foi tremendo e poderoso. "De repente veio do céu um som, como de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam assentados" (Atos 2.2). Oh, que momento deve ter sido!

Vento e Fogo

E imediatamente apareceram línguas de fogo que se separaram e pousaram sobre cada um deles (Atos 2.3). E "todos ficaram cheios do Espírito Santo, e passaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem" (v.4).
O Espírito do Senhor foi derramado com plenitude neste dia. Ele varreu o meio daquele lugar como um tornado celestial ¯ não para destruir,mas para construir. E o "fogo" que começou a descer daquele círculo de vento pousou sobre as cabeças de cada uma das pessoas e elas ficaram cheias do Espírito Santo.
Deus uniu vento e fogo ¯ o invisível e o visível ¯ exatamente como tinha prometido. O Senhor descreveu o Espírito Santo como sendo como o vento (Jo. 3.8) e disse que Aquele que viria depois dEle batizaria "com o Espírito Santo e com fogo" (Mt.3.11).
Oh, como eu queria ter estado lá para ver as expressões nos rostos de Tiago, André, Filipe e Tomé quando aquele vento impetuoso começou a soprar e o fogo pousou sobre suas cabeças. Só consigo imaginar como eles devem ter se sentido quando suas vidas foram transformadas por uma visitação do Espírito Santo naquele dia em que estavam reunidos.
Quando reflito sobre a primeira vez em que fui tocado pela gloriosa presença e poder do Espírito Santo, fico cheio de uma emoção muito grande pois naquelas horas preciosas meu destino mudou! Que experiência incrível deve ter sido, cento e vinte pessoas reunidas no cenáculo quando o Espírito Santo começou a soprar e elas foram batizadas com o Espírito Santo e com fogo.
O autor John Rea afirma: "O dia de Pentecostes marcou um novo começo da obra do Espírito de duas formas: Sua vinda foi universal e permanente."3
O poder de ressurreição começou a fluir como um rio do íntimo deles. Eles elevaram suas mãos e vozes a Deus e começaram a louvá-Lo em outras línguas. O som daquele vento foi tão grande e poderoso, que toda Jerusalém ouviu (Atos 2.5,6).

O Que Está Acontecendo?

O dia de Pentecostes aconteceu durante a Festa das Semanas ¯ a quarta de quatro grandes festas que ocorriam anualmente em Jerusalém (depois da Páscoa, das Trombetas e dos Tabernáculos). A história conta que estes eventos importantes geralmente atraíam mais de 150.000 pessoas de todo o mundo conhecido. Estavam lá pessoas "de todas as nações debaixo do céu," unidas pela fé no Deus de Abraão, Isaque e Jacó (Atos 2.5).4
Acredita-se que 120.000 pessoas eram peregrinos que tinham outra língua nativa.5 "O que está acontecendo?" as pessoas indagavam ao virem correndo em direção ao som. Ficaram perplexas ao ouvirem aqueles crentes cheios do Espírito "falar na sua própria língua" (v.6).
Os de Frígia diziam: "estão falando o idioma da Frígia". Os da Panfília diziam: "estão falando o idioma da Panfília. E os de Roma diziam: "Estão falando latim."
Até este glorioso momento, muitos dos seguidores de Cristo tinham pago um preço horrível pelo compromisso que tinham. O líder deles foi crucificado e eram vistos com desdém, tanto pelo governo civil romano quanto pelo governo religioso judeu. Foram arrancados das sinagogas, repudiados pelos membros de suas famílias e viviam cheios de medo e ansiedade. Mas quando saíram do cenáculo estavam transformados. Começaram a pregar o evangelho com poder ― um poder que sacudiu o mundo.
Pedro elevou a voz e dirigiu-se à multidão: "Estes homens não estão embriagados, como vindes pensando, sendo esta a terceira hora do dia. Mas o que ocorre é o que foi dito por intermédio do profeta Joel" (Atos 2.15-16).
Ele citou o profeta do Antigo Testamento: "E acontecerá nos últimos dias, diz o Senhor, que derramarei do meu Espírito sobre toda a carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão, vossos jovens terão visões, e sonharão vossos velhos; até sobre os meus servos e sobre as minhas servas derramarei do meu Espírito naqueles dias, e profetizarão" (Atos 2.17-18).
O Pentecostes não apenas veio depois da ascensão, mas dependeu dela, porque o Espírito Santo não podia vir até que o Senhor Jesus tivesse ido para a direita do Pai nos céus!
Sem dúvida, os seguidores de Cristo sentiram enormemente Sua falta depois de Sua ascensão, mas o Espírito Santo era tudo o que o Senhor Jesus tinha prometido que seria. Como o notável líder cristão, A. J. Gordon, disse: "Todo o reconhecimento e honra que os discípulos prestavam ao Seu Senhor, passaram a prestar ao Espírito Santo, Seu verdadeiro representante, Seu Ser invisível presente nos corpos de todo crente."6

Obras Maiores?

Uma das promessas feitas pelo Senhor foi ainda mais extraordinária. Ele disse um dia: "Em verdade, em verdade vos digo que aquele que crê em mim, fará também as obras que eu faço, e outras maiores fará, porque eu vou para junto do Pai" (Jo. 14.12).
Quando o Senhor diz, "em verdade, em verdade", sabemos que Ele está dizendo, "preste atenção especial. Isto é de suma importância."
A primeira coisa de suma importância é que o ministério daqueles que criam devia parecer com o ministério do Senhor Jesus. Ele disse: "as obras que eu faço, ele (aquele que crê) também fará". O Senhor Jesus era um homem de atitudes. Ele fazia as coisas enquanto as ensinava. A Palavra registra "todas as coisas que Jesus fez e ensinou" (Atos 1.1).
O Senhor Jesus ensinava as pessoas e depois demonstrava Sua autoridade para ensinar através de milagres. Ele atuava. É extraordinário para mim o fato de que os líderes religiosos dos tempos de Jesus aceitassem Sua capacidade para curar mas rejeitassem Sua capacidade de perdoar o pecado. Hoje ocorre simplesmente o oposto: muitos que crêem, e não têm dificuldades para crer que Jesus perdoa o pecado, são absolutamente resistentes à idéia de que Ele quer curar Seu povo. Contudo, a Bíblia declara que o Senhor Jesus Cristo "ontem e hoje é o mesmo, e o será para sempre" (Hb. 13.8). E como Ele nunca muda, continua salvando, curando e libertando Seu povo hoje. Porque Ele é o Deus de milagres ¯ não foi o Deus de milagres, continua sendo, e porque Ele é, milagres continuam a acontecer.A segunda coisa de suma importância é que como resultado do fato de Jesus Cristo ter ido para o Pai e enviado o Espírito Santo, aqueles que crêem têm capacidade de fazer obras ainda maiores: "fará também as obras que eu faço, e outras maiores fará, porque eu vou para junto do Pai" (Jo. 14.12).
Quando algumas pessoas lêem "outras maiores fará", têm a noção errada de que Deus está transferindo Seu poder espiritual para elas. Mas não temos capacidade para salvar, curar ou libertar. Pelo contrário, somos instrumentos nas mãos do Todo-Poderoso e Ele realiza os milagres.
Posso te contar uma coisa que me agride e fere profundamente? Realmente não gosto quando as pessoas me chamam de "curador da fé" ou "o que cura". Quero deixar este ponto bastante claro. Existe apenas um que cura, e Seu nome não é Benny Hinn ¯ é Senhor Jesus. Independentemente do fato de ser numa cruzada, num culto, na televisão, num hospital ou mesmo ao ler este livro, não focalize sua atenção em mim. O Senhor Jesus é Quem cura!
Que "obras" do Senhor Jesus seriam substituídas pelas de Seus seguidores? Certamente não pode ser salvação, cura, resgate e libertação dos cativos. Como estas coisas poderiam ser feitas numa extensão maior do que o Senhor Jesus fez?
Assim, uma vez que o Senhor Jesus ressuscitou mortos, expeliu demônios e fez com que uma tempestade cessasse, o que é que Jesus Cristo não pôde fazer que nós podemos? Ele não pôde ficar diante de uma multidão e dizer: "Eu estava perdido e agora me encontrei. Eu era cego e agora posso ver."

Algo Que Ele não Pode Fazer

Você sabe o que é maior do que a cura do câncer? Ou maior do que alguém sendo limpo da lepra? Ou maior do que ordenar que o vento cesse? O principal milagre no Reino de Deus é o milagre da salvação. Você pode dizer ao mundo: "Meus pecados estão debaixo do sangue. Fui resgatado." Quando Pedro pregou esta mensagem no dia de Pentecostes, houve um acréscimo de "quase três mil pessoas" à igreja (Atos 2.41).
O Senhor Jesus não podia testemunhar sobre Sua própria salvação, porque Ele não foi salvo ¯ Ele é o Salvador. Mas você pode testemunhar sobre sua salvação. Você pode levantar-se e dizer: "Eu pertenci a Satanás, mas agora pertenço a Deus Pai e a Seu Filho Jesus Cristo."
O Senhor Jesus não estava perdido ― Ele era o Caminho.
Ele não estava cego ― Ele era a luz.
Ele não estava cativo ― Ele libertou os cativos.
Ele não pertencia a Satanás ― Ele derrotou Satanás, porque a Bíblia declara:
"Para isto se manifestou o Filho de Deus, para destruir as obras do diabo" (1 Jo. 3.8).
E Ele não escolheu anjos para pregar o Evangelho; escolheu você. E por causa da Sua escolha soberana de atuar através daqueles que crêem, Deus não operará sem nós e nós não conseguiremos atuar sem Ele.

O Anúncio

A partir do relato de Pentecostes, sabemos que quando o Espírito Santo chega, anuncia Sua entrada. Mas lembre-se disso: o Espírito Santo nunca anuncia Sua partida.
Sansão tinha grande força quando foi ungido. Mas ele desobedeceu e "não sabia que o Senhor se tinha retirado dele" (Jz. 16.20). Ele perdeu o poder de Deus.
Quando o Senhor rejeitou Saul como rei, "o Espírito do Senhor se retirou deste" e foi substituído por um espírito maligno (1 Sm. 16.14).
Davi pecou com Batseba e conhecia as conseqüências. Foi por isso que ele orou: "Não me repulses da tua presença, nem me retires o teu Santo Espírito" (Sl. 51.11). A Bíblia declara que Deus não deseja tirar o Espírito Santo de nós. Sua vontade é que o Espírito Santo seja uma parte permanente de nossas vidas e, assim como transformou 120 crentes em Jerusalém, Ele está pronto para fazer uma grande obra em você.

Parte 1: "Em Nome Do Pai, Do Filho E Do Espírito Santo"

O Que Há Em Um Nome?

Poucos dias depois que nasci, de acordo com o costume, meus pais me levaram à Igreja Ortodoxa Cristã para ser batizado. Devido à posição proeminente de meu pai, tanto na vida política de Israel quanto na comunidade Ortodoxa Grega, o Patriarca Ortodoxo Grego de Jerusalém estava presente para me batizar.
É claro que não me lembro de nada sobre a cerimônia e, embora tudo o que reste sejam algumas fotografias desbotadas, meus pais me contaram várias vezes como foi aquele dia. Também tive a oportunidade de ver o lugar onde fui batizado e assisti a vários batismos de outros membros da família enquanto eu ia crescendo.
Eles diziam que a igreja era bonita, dentro do estilo ortodoxo grego clássico: com madeira entalhada,   pedras majestosas, imagens com aparência impressionante por todos os lados, coisa de outro mundo. O leve bolor e o aroma penetrante de incenso espalhavam-se pelo ar. Meus pais, como pedia a ocasião do batizado do primeiro filho, vestiam suas melhores roupas.
Eles me contaram como o Patriarca apareceu para seus ouvintes: dava para ouvir o farfalhar de suas vestes mesmo antes de vê-las. O Patriarca em si já era majestoso, resplandecia em um manto longo incrustado de pedras semi-preciosas, em sua cabeça havia uma mitra, que emprestava uma certa graça e majestade a ele. Seu rosto era adornado por uma majestosa barba branca ¯ e tinha olhos penetrantes.
Meus pais me contaram que o Patriarca presidia esta antiga cerimônia e que logo chegou a hora de ele me batizar, dando-me meu nome . "de batismo". É claro que meus pais não tinham idéia de qual nome ele iria escolher e por isso havia uma agitação quando foram ao local da cerimônia, quando então o Patriarca escolheria meu nome, que mal dava para esconder. Olhando para mim com muito interesse e pensativo, ele me deu o nome de Benedictus ¯ seu próprio nome.
A palavra "Benedictus" vem de duas palavras latinas, "Bene", que significa "bem", e "dictus", que significa "falar". Este era o meu direito inalienável, minha delegação.
No Oriente Médio, dar nome a uma criança sempre foi muito significativo. Na verdade, era tão importante, que muitos judeus acreditavam que antes de conhecer realmente uma pessoa,precisavam descobrir o significado de seu nome. Os nomes descreviam o que as pessoas eram ¯ ou o que esperavam que fosse.
Os pais sempre esperavam que o significado por trás do nome de uma criança fosse uma profecia auto-cumpridora. O nome Gideão, por exemplo, significa "grande guerreiro" ¯ e foi no que ele se tornou. O nome "João" significa, e deriva de, "Jeová é misericordioso" e, é claro, o ministério de João foi preparar o caminho para o Senhor Jesus, a suprema expressão da misericórdia de Jeová.
A Bíblia também dá exemplos de nomes que foram mudados por Deus a fim de adaptarem-se às novas circunstâncias da pessoa. Abrão, "o pai é exaltado", tornou-se Abraão, "pai de multidões". Deus disse a Abraão: "de ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção" (Gn. 12.2). O apóstolo "Paulo" (pequeno) era, originalmente, conhecido como "Saulo" (pedido de Deus). Saulo é chamado de Paulo em Atos devido ao fato de ele estar entrando na sua fase de ministério para os gentios.1
Em alguns casos, as pessoas usavam o novo nome para refletir as suas circunstâncias de vida. No livro de Rute, por exemplo, Noemi disse: "Não me chameis Noemi (agradável); chamai-me Mara (amargura); porque grande amargura me tem dado o Todo-poderoso" (Rute 1.20).
O Senhor mudou o nome de Simão para Pedro ¯ significando rocha. Ele disse: "Bem-aventurado és, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue quem to revelou, mas meu Pai que está nos céus. Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela" (Mt. 16.17,18).

Benedictus?

No meu caso, o nome "Benedictus" era cruelmente irônico ¯ até o Espírito Santo entrar em minha vida. Veja, ao invés de ser uma pessoa que "fala bem" (Benedictus), eu era um gago. Isto criava uma barreira entre eu e as outras pessoas, tanto por causa da minha vergonha quanto por causa da ridicularização e zombaria delas.
Mas daí o Espírito Santo me salvou e me transformou. A transformação começou com sonhos e visões nos quais eu estava pregando. Por um lado, parecia uma fantasia completa ¯ por outro eu simplesmente não podia me esquivar daquilo. Quando fui convidado para pregar pela primeira vez, sabia que tinha que aceitar e sabia que Deus faria algo maravilhoso, apesar da minha fraqueza. Se você leu meu livro Bom Dia, Espírito Santo, ou me ouviu pregando alguma vez, sabe o milagre que o Espírito Santo fez. Naquela noite, no momento em que abri minha boca, o Espírito Santo curou minha gagueira completa e absolutamente.

O Nome Acima de Todos os Nomes

Nos próximos dois capítulos, estaremos vendo os nomes e títulos do Espírito Santo, e o que podemos aprender sobre Ele   a partir destes nomes. Neste capítulo, veremos os nomes e títulos que O relacionam aos outros membros da Trindade. No próximo capítulo veremos os nomes e títulos do Espírito Santo que nos fornecem dados sobre Seu caráter e obra.
Há uma grande variedade de nomes que são atribuídos ao Pai, Filho e ao Espírito Santo. Eles não existem para causar confusão ― pelo contrário. Quando entendidos corretamente, acrescentam imensamente à nossa compreensão da natureza e caráter do nosso Deus da Trino.
Deus, o grande "EU SOU" (Ex. 3.14) possui dúzias de nomes, desde "O Altíssimo" (Sl. 91.9) até "O Senhor dos Exércitos" (Is. 54.5).
O nome do Senhor Jesus é a forma grega do nome hebreu "Josué", que significa "Jeová salva" e foi exatamente isso que Jeová fez ― através do sangue de Jesus Cristo. Ao longo das páginas das Escrituras, vemos muitos outros títulos e nomes usados para o Senhor ― desde "Príncipe da Paz" (Is. 9.6) até "O Bom Pastor" (Jo. 10.11).
Os nomes do Espírito Santo dados nas Escrituras não são sinônimos sem significado para a Terceira Pessoa da Trindade. Corretamente compreendidos, estes nomes fornecem dados tremendos sobre a vontade, caminhos e atuação do Espírito Santo.

O Espírito Santo

"Espírito Santo" é tanto o nome predominante que usamos para a Terceira Pessoa da Trindade, quanto um resumo poderoso daquilo que Ele é. Ele é Espírito ¯ o oposto de carne,não possui um corpo; e é Santo ¯ o oposto de comum ou corrompido.
é difícil para mim descrever meus sentimentos quando estou na presença do Espírito Santo. Ele pode transformar um hotel comum em uma catedral sagrada. Ele pode tomar um estádio ou ginásio, destinados a eventos esportivos, e transformá-los nos lugares mais Santos.
Quando o Espírito do Senhor desce na minha devoção particular ou na minha ministração pública, lembro-me de Moisés, quando ele olhou para a sarça ardente e tirou as sandálias porque Deus disse: "o lugar em que estás é terra santa" (Ex. 3.5). O Espírito Santo é denominado Santo porque Ele "é santo em si mesmo, completamente separado de toda malignidade."2
Ao longo das Escrituras, a Terceira Pessoa da Trindade é mencionada como o Espírito Santo:
O salmista orou: "Não me retires o teu Santo Espírito"  (Sl. 51.11, ênfase acrescentada).
• Maria "achou-se grávida pelo Espírito Santo" (Mt. 1.18, ênfase acrescentada).
• O Senhor Jesus declarou: "Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais o Pai celestial dará o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?" (Lucas 11.13, ênfase acrescentada).
• João disse: "Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo" (Mt. 3.11, ênfase acrescentada).• Os apóstolos escreveram: "Pareceu bem ao Espírito Santo e a nós" (Atos 15.28, ênfase acrescentada). Romanos 1.4 também declara que Ele é "o espírito de santidade", na passagem que se refere ao papel do Espírito Santo na ressurreição do Salvador.

Títulos Que Relacionam O Espírito Santo ao Pai

Existem pelo menos dezesseis títulos para o Espírito Santo que irradiam luz em Seu relacionamento com as outras Pessoas da Trindade. Onze destes dezesseis títulos se relacionam especificamente com o Pai. "Mesmo existindo alguma diferença de significado nos vários títulos, o significado principal é ressaltar o relacionamento do Espírito Santo como a Terceira Pessoa da Trindade e afirmar Sua divindade e procedência."3

O Espírito de Deus

O Espírito de Deus é o nome do Espírito Santo que associa-se a poder, profecia e direção.
Na criação, era "o Espírito de Deus" que "pairava por sobre as águas" (Gn. 1.2).
Posteriormente, o mesmo "Espírito de Deus" se apossou de Saul e fez com que ele profetizasse (1 Sm.10.10). Ele se apoderou de Zacarias e capacitou-o a declarar a Palavra do Senhor (2 Cr. 24.20). E a visão de Ezequiel da restauração de Israel foi dada "pelo Espírito de Deus" (Ez.11.24). Mas o Espírito de Deus não se associa apenas a profecia. Ele também está associado a poder.Existe uma história extraordinária no Novo Testamento sobre o que ocorreu quando o Senhor Jesus curou um homem cego e surdo que era possuído por demônios. Os fariseus acusaram-nO de usar o poder de Satanás para realizar tal milagre.
O Senhor Jesus, que conhecia os pensamentos deles, declarou: "eu expulso os demônios, pelo Espírito de Deus" (Mt. 12.28, ênfase acrescentada).
O Espírito de Deus é o Espírito de profecia, Ele é o Espírito de poder e também é o Espírito de direção, porque a Bíblia declara: "Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus" (Rm. 8.14, ênfase acrescentada).
Pense nas implicações do fato de que o Espírito Santo que criou o universo, o Espírito Santo que inspirou profecias e o Espírito Santo que expeliu demônios habita dentro de você, tornando o poder de ressurreição disponível a cada momento. Aleluia pelo Espírito de Deus e aleluia pelo fato de que "o Espírito de Deus habita em vós" (1 Co.3.16, ênfase acrescentada).

O Espírito do Senhor

Precisamos reconhecer que o Espírito Santo é mais do que um representante do Ser Supremo, Ele é o Espírito do Jeová que adoramos. O Espírito do "EU SOU." Este título do Espírito Santo é usado repetidamente tanto no Antigo quanto no Novo Testamento.
Amo a história de Gideão. Depois de anos de opressão dos midianitas, Gideão respondeu ao chamado de Deus em favor dos israelitas. A Bíblia nos diz que "o Espírito do Senhor revestiu a Gideão" e ele reuniu seu exército (Jz. 6.34). Trinta e dois mil homens estavam presentes. Deus disse-lhe que o exército era grande demais e aquilo poderia fazer com que Israel se orgulhasse no futuro, "A minha própria mão me livrou" (Jz. 7.2).
Assim,  Deus fez com que ele reduzisse o exército para 300 homens cujas únicas armas eram tochas e trombetas. Quando eles cercaram o vasto exército dos midianitas e tocaram suas trombetas, o inimigo fugiu. Foi "o Espírito do Senhor" que dirigiu Gideão a uma vitória tão gloriosa.
Isaías disse: Quando o inimigo vier, temerá o nome do Senhor e a Sua glória "pois virá como torrente impetuosa, impelida pelo Espírito do Senhor" (Is.: 59.19, ênfase acrescentada).
Quando o Senhor Jesus começou Seu ministério, levantou-se na sinagoga e citou Isaías dizendo: "O Espírito do Senhor está sobre mim" (Lucas 4.18, ênfase acrescentada).
Paulo usou o mesmo título para explicar as obras do poderoso e vitorioso Espírito do Senhor, que usa Seu poder para nos libertar: "Ora o Senhor é o Espírito; e onde está o Espírito do Senhor aí há liberdade" (2 Co. 3.17, ênfase acrescentada).

Meu Espírito

Quando Deus se dirige ao Espírito Santo, o faz de uma forma bastante pessoal. Refere-se a Ele como "Meu Espírito", demonstrando claramente o mistério da Trindade. Eles são Um, no entanto são Três.
Deus declarou através de Joel que nos últimos dias, "derramarei o meu Espírito sobre toda a carne" (Joel 2.28, ênfase acrescentada).
Deus também alertou o homem em Gênesis 6.3 para acatar o Espírito Santo dizendo: "O meu Espírito não agirá para sempre no homem"    (ênfase acrescentada).
Zacarias nos lembrou que não é por força, nem por poder, mas "pelo meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos" (Zc.4.6).

O Espírito do Deus Vivo

Eu amo a obra do Espírito Santo. Ele torna a Palavra de Deus extremamente real para nós e dentro de nós. A Bíblia usa o título "Espírito do Deus Vivo" em associação com a atuação do Espírito Santo em tornar Sua Palavra viva e Seus filhos em "tábuas de carne" (2 Co. 3.3).
Ao invés de se concentrar nas "tábuas de carne" e dar a glória ao Senhor, infelizmente é verdade que, algumas vezes, certos ministros tentam estabelecer sua importância contando o número de membros de sua igreja, o tamanho do lugar, o número e tamanho de suas cruzadas, quantos ouvintes em potencial existem para suas apresentações de rádio, quanto as pessoas dão, etc. Mas para mim existe apenas um teste e ele é muito simples: "Vidas foram transformadas?" E como as vidas foram transformadas? Pelo Espírito do Deus vivo.
O que importa não é o livro-caixa, nem o rol de membros e sim se as pessoas estão sendo libertas e se estão vivendo uma vida abundante através do Espírito do Deus vivo. Uma pessoa milagrosamente transformada pelo Espírito do Deus vivo é uma "tábua de carne," um testemunho que anda e respira do poder do Deus vivo no mundo de hoje.
Paulo foi muito claro a este respeito quando algumas pessoas da igreja de Corinto questionaram suas credenciais. Sua resposta foi simples: todos eles, da igreja de Corinto, eram suas credenciais por causa do Espírito do Deus vivo.

"Começamos, porventura, outra vez a recomendar-nos a nós mesmos? ou temos necessidade, como alguns, de cartas de recomendação para vós outros, ou de vós? Vós sois a nossa carta, escrita em nossos corações, conhecida e lida por todos os homens, estando já manifestos como carta de Cristo, produzida pelo nosso ministério, escrita não com tinta, mas pelo Espírito do Deus vivente, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne, isto é, nos corações. E é por intermédio de Cristo que temos tal confiança em Deus; não que por nós mesmos sejamos capazes de pensar alguma coisa, como se partisse de nós; pelo contrário, a nossa suficiência vem de Deus, o qual nos habilitou para sermos ministros de uma nova aliança, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata, mas o espírito vivifica" (2 Coríntios 3.1-6, ênfase acrescentada).

Oh, e hoje eu sei que sua ânsia é por uma nova unção do Espírito, uma unção que afete sua vida e a dos outros através de sua caminhada com Deus. E creia-me, não existe nada que eu deseje mais do que ser usado por Deus e conhecer Sua presença em uma dimensão maior do que nunca. E é por isso que amo cantar das profundezas do meu coração:

Espírito do Deus Vivo,
Caia sobre mim.
Toque-me, molde-me,
Encha-me, use-me!
Espírito do Deus Vivo,
Caia sobre mim.

O Poder do Altíssimo

Quando eu for para os céus, existem muitas coisas que quero fazer e muitas pessoas que quero encontrar. Maria, a mãe de Jesus, é uma dessas pessoas. Seu encontro com "o poder do Altíssimo" nunca foi experimentado, antes ou depois.
Quero saber como foi experimentar o poder de Deus da forma como ela experimentou. Oh, como eu gostaria de sentar com os grandes profetas do Antigo Testamento e descobrir coisas que tenho tanta fome de saber. Como eu gostaria de sentar com Pedro e perguntar-lhe sobre a experiência que teve quando sua própria sombra curou enfermos, ou com Paulo, sobre o qual a presença de Deus foi tão forte que foi arrebatado até o terceiro céu. Mas a experiência de Maria com o Espírito Santo permanece como uma das maiores das Escrituras.
Como você sabe, um dos maiores ensinamentos centrais e proféticos das Escrituras é que o Messias nasceria de uma virgem: "Portanto o Senhor mesmo vos dará sinal: Eis que uma virgem conceberá e dará à luz um filho, e lhe chamará Emanuel" (Is.7.14).
Quando Maria soube, pelo anjo Gabriel, que conceberia o Messias, fez a pergunta natural: "Como será isto, pois não tenho relação com homem algum?" (Lucas 1.34).
A Bíblia registra a poderosa resposta de Gabriel: "Descerá sobre ti o Espírito Santo e o poder do Altíssimo te envolverá com a sua sombra; por isso também o ente santo que há de nascer, será chamado Filho de Deus" (Lucas 1.35, ênfase acrescentada).
E é claro que foi exatamente o que aconteceu. O impossível se torna possível quando vem "o poder do Altíssimo". Você já ouviu a história do garotinho que estava tentando mover uma enorme rocha? Ele puxava e empurrava, usando toda sua força contra aquela rocha tão grande. Tentou movê-la até com uma alavanca, tudo em vão. Então seu pai lhe perguntou: "Filho, você já usou todos os recursos?" E o filho respondeu: "Sim, pai.Já tentei tudo e não consigo fazê-la se mover." Ao que seu pai respondeu: "Não, você não usou. Você não pediu para eu te ajudar."
Oh, sei que como eu, você tem fome de ver o poder de Deus transformar sua vida, seus relacionamentos e seu trabalho. Renda-se ao Espírito Santo de uma maneira nova e deixe que a plenitude do poder do Altíssimo seja liberada em sua vida!

Títulos Que Relacionam O Espírito Santo a Jesus Cristo, o Filho

O Espírito de Cristo

― Para que servem aqueles diamantes negros? ― perguntei ao meu amigo enquanto estávamos para subir num teleférico numa estação de esqui em Aspen, Colorado, na minha primeira, e absolutamente última, tentativa de esquiar. Não gosto de frio e não gosto de neve, mas de alguma forma, fui convencido a ir esquiar. Quando você vê as pessoas esquiando parece tão fácil, parece que fazem tão pouco esforço. Mas acho que deve existir uma conspiração que ilude pessoas ingênuas como eu, fazendo-as subir as pistas de esqui, e então faz com que quebrem todos os ossos do corpo.
Minha idéia era começar em um declive suave, sendo conduzido por um instrutor atencioso, que me desse segurança, parando de vez em quando para um chocolate quente no alojamento. Meu amigo estava pensando mais era deslanchar no Monte Everest com velocidade, como nas Olimpíadas de Inverno.
Se você conhece um pouco de esqui, sabe que a pista "diamante negro" é a mais perigosa e que deve ser usada apenas por peritos. Como eu sabia muito pouco sobre esqui, não tinha consciência disso quando subi no teleférico.
Estávamos nos dirigindo à maior montanha que eu já tinha visto na vida, aquela que Saddam Hussein teria chamado de "a mãe de todas as montanhas."
― Relaxe, Benny, vai ficar tudo bem ― meu amigo disse.
Fico imaginando quantas pessoas que estão hoje no cemitério poderiam declarar que as últimas palavras que ouviram foram: "Relaxe, vai ficar tudo bem."
A melhor parte de toda a experiência foi a subida ao topo ― as belas encostas cobertas de neve pareciam tranqüilas e tentadoras. Não davam indicação alguma do sofrimento que me aguardava quando realmente tentei esquiar cume abaixo, muito semelhante à forma como a última refeição de um condenado não lhe dá indicações da execução que se seguirá. Desci a encosta com tudo, fora de controle e apoiado nos esquis até que uma mulher foi gentil o suficiente para parar minha descida colidindo comigo. Tirei os esquis e fiz o resto do caminho andando.
Mas à medida que o teleférico subia, antes daquele evento fatídico, ficou claro que o que parecia apenas uma montanha era, na realidade, uma série de picos separados por vales. Somente quando nos aproximamos dos picos é que isso ficou claro.Semelhantemente, muito antes do Senhor Jesus vir, os profetas predisseram a majestosa montanha de salvação que Ele traria. Viram os dois grandes cumes da profecia bíblica: a primeira vinda de Cristo como o Messias sofredor e a segunda vinda de Cristo como o Messias vencedor. Mas distantes como estavam, os cumes pareciam montanhas para os profetas do passado. Eles não viram as duas vindas do Salvador. Pelo contrário, viram Suas duas grandes missões, sofrer pelos pecados da humanidade e vencer este mundo decaído, como eventos que ocorreriam ao mesmo tempo. Só no Novo Testamento é que ficou claro que as missões do Salvador ocorreriam, uma durante Sua primeira vinda e a outra durante a segunda.
Acho que foi sobre isto que Pedro escreveu quando declarou: "Foi a respeito desta salvação que os profetas indagaram e inquiriram, os quais profetizaram acerca da graça a vós outros destinada, investigando atentamente qual a ocasião ou quais as circunstâncias oportunas, indicadas pelo Espírito de Cristo, que neles estava, ao dar de antemão testemunho sobre os sofrimentos referentes a Cristo, e sobre as glórias .

ESSE TEXTO FOI EXTRAIDO DO LIVRO DO ALTRO BENNY HINN UM DOS MEUS ALTORES PREDILETOS QUE TRANSMITE O ESPIRITO SANTO E SUAS EXPERIENCIAS COM ELE DE MANEIRA EDIFICANTE PARA MINHA E TUA VIDA DEUS ABENCOE VCS.
















































































Nenhum comentário:

Postar um comentário

MEDITE NISSO

Recadoseglitters.com

JESUS ESTA VOLTANDO E TE CONVIDA A SEGUI-LO E VC QUAL E A SUA DECISÃO?


Jesus Cristo - Recados Para Orkut

Ocorreu um erro neste gadget